Dieta Oriental

Para perder peso não é preciso perder a saúde. Na verdade, segundo a filosofia oriental, a saúde deve estar ligada ao peso correto e…

Para perder peso não é preciso perder a saúde. Na verdade, segundo a filosofia oriental, a saúde deve estar ligada ao peso correto e não o peso correto à perda de saúde.

Os orientais consideram que a perda de peso está ligada a uma alimentação correta e que a palavra chave para se comer bem é moderação. Segundo ensinamentos antigos, toda a constituição vital está ligada ao Chi (energia) gerado no momento da concepção, este chi se acumula no rim e ao longo da vida pode ser sobrecarregado ou preservado de acordo com uma vida de moderação. Este chi passa por um esgotamento durante a vida e deve ser restaurado. A ele se une o chi da terra que recebemos pela alimentação e respiração.

Comer bem trás um bom chi consigo; um bom chi uma boa saúde; com a boa saúde o peso ideal.

Revigorando seu Chi e emagrecendo com isso

 

Para os japoneses, o equilíbrio do chi se deve a uma vida de moderação. Alimentos saudáveis e cheios de nutrientes aumentam a saciedade e auxiliam na perda de peso pela falta do exagero.

A constituição da dieta japonesa está na base de peixes, legumes, arroz, soja, macarrão, chá e frutas. É errado pensar que comida japonesa é apenas sushi ou sashimi. Na realidade a culinária rica trás pratos saborosos. Chocolate, farinha e carnes vermelhas são itens pouco usados na culinária oriental, enquanto soja, arroz e peixe estão entre os alimentos mais consumidos.

Uma dieta que emagrece e rejuvenesce

 

A boa alimentação oriental, constituída por um cardápio equilibrado e desintoxicante trás não apenas boa forma, mas juventude por muito mais tempo. O livro “Mulheres japonesas não engordam nem envelhecem”, da editora Rocco, nos apresenta a culinária tradicional japonesa e o como é possível adaptá-la ao nosso cotidiano.

Continuar Lendo  Como emagrecer rápido e com saúde

Um ponto importante a se ressaltar na dieta oriental japonesa é a utilização de alimentos a base de extrato de soja. No ocidente valorizamos a proteína da soja como um substituto para carne animal, mas no extrato, como no queijo tofu, no molho shouyu e em pastas misso que são base para sopas missoshiro, encontramos a isoflavona, substância que se iguala ao hormônio estradiol, regulando o organismo feminino.

Além disso, a riqueza em consumo de peixes e algas aumentam a ingestão da gordura ômega-3, conhecida como gordura do bem que, protegem as células contra o envelhecimento e ainda protegem as funções cerebrais.

Os peixes utilizados na culinária japonesa possuem baixíssimos níveis de gorduras saturadas.

Algas possuem vitaminas e sais minerais que ajudam no emagrecimento, e como se não bastasse isso, ainda causam a sensação de saciedade, diminuindo ainda mais a quantidade de comida ingerida.

A culinária oriental pode ser considerada uma das mais saudáveis do mundo, e a moderação uma arma contra os quilos a mais.

Há quem defenda que substituir a janta por uma tigela de Missoshiro faz milagres quando o assunto é emagrecimento. E então? Que tal mudar os hábitos de alimentação para emagrecer de maneira saudável?

Top