Dicas sobre a Nova Ortografia

Em 2009 existiu uma reforma na ortografia portuguesa e com isso diversas mudanças foram aplicadas à nossa língua. Ainda hoje, muitas pessoas continuam com…

Em 2009 existiu uma reforma na ortografia portuguesa e com isso diversas mudanças foram aplicadas à nossa língua. Ainda hoje, muitas pessoas continuam com dúvidas sobre a maneira correta de escrever. Esse acordo ortográfico se torna importante, pois o português é falado em diversos Países e serve principalmente, para unificar a língua portuguesa. Nesse post, vamos explicar de forma fácil quais foram essas mudanças.

Acento Agudo – O acento agudo não deve ser mais utilizado em palavras paroxítonas com i e u tônicos que formam um hiato. Exemplo: feiura.  Nas palavras paroxítonas, quando essas apresentam ditôngos abertos em ei e oi, exemplo: Jiboia, ideia e heroico.

Acento circunflexo – O acento circunflexo não deve ser mais utilizado em palavras que terminam com oo, exemplos: voo, perdoo, enjoo e magoo. Assim como não devem ser utilizados na terceira pessoa do plural do presente do indicativo dos verbos ver, ler, dar e crer, exemplos: descreem, veem, creem, leem, releem.

Acento diferencial – O acento circunflexo não deve ser mais utilizado nas plavras: para, pela, polo e pelo. No entanto é mantido o acento diferencial do verbo pôr.

Trema – O trema deixou de existir para todas as palavras que tinham, só é mantido quando se refere a nome próprio ou sobrenome.

Hífen – O hífen não deve ser mais usado em duas situações: quando a primeira palavra termina em vogal e a segunda palavra começa com vogal diferente e quando a palavra termina em vogal e a outra em s ou r, nessa situação a consoante da segunda palavra, deverá ser duplicada. Exemplos: antirreligioso, autoaprendizagem, contrassenha, autoajuda.

O acordo ortográfico ainda aumentou o número de letras de nosso alfabeto. Antigamente o alfabeto tinha somente 26 letras e hoje tem 33 letras, pois foi incluído o y,w e o k.

As modificações em nossa ortografia que aconteceram em 2009 são obrigatórias e não de uso opcional. A regra correta das palavras desde 2009 vem sendo ensinada nas escolas e os livros didáticos e de leitura a partir daquele momento, tiveram que remodelar  as edições   referentes a nova ortografia.

As modificações ortográficas não atingiram somente o Brasil, mas Portugal também. Essa foi uma maneira encontrada de não existir mais tantas diferenças de vocabulário.  Em Portugal não se escreve mais com o H na frente de palavras como erva ou úmido. Não se usa mais o c e o p nas palavras onde essas letras não são pronunciadas, como: acção, exato ou baptizar.

Essa foi uma maneira encontrada de tornar a língua portuguesa mais unificada, uma vez que cada País ou localidade que falavam o português tinham sua própria grafia. Diversas pessoas ainda lamentam não poder usar mais o trama nas palavras, por outro lado a mudança ortográfica facilitou o ensino do português uma vez que os acentos diferenciais e de palavras  seguidas de duas consoantes.

A parte que gera mais dúvidas é no uso do hífen, pois algumas palavras continuam necessitando do hífen e nada mudou. As palavras que terminam por R como hiper, inter e super continuam sendo escritas com o hífen.

Nos verbos ter e vir o acento circunflexo continua sendo utilizado quando estão no plural, como exemplos podemos citar: eles têm, eles vêm ou o seu derivado, eles intervém ou detém.

 

Top