Dicas para evitar gravidez na adolescência

Dizem que a adolescência é uma das melhores fases da vida. É um período de amadurecimento e de descobertas que incluem a própria sexualidade.…

Por Editorial MDT em 14/05/2011

Dizem que a adolescência é uma das melhores fases da vida. É um período de amadurecimento e de descobertas que incluem a própria sexualidade. O porém, é que muitos jovens estão encurtando esse período por terem de assumir tarefas e responsabilidades de gente grande. Afinal, ter um filho é uma responsabilidade e tanto.

Hoje muitos adolescentes tem se tornado pais cada vez mais cedo. Meninas de 12 ou 13 anos grávidas já não são mais uma novidade. Existem muitas no nosso cotidiano. Sempre conhecemos alguém que passou por isso ou ouvimos uma história do gênero. São histórias que gostaríamos de considerar como exceção devido a tantas mudanças que acontecem decorrentes dessa situação, mas que vem sendo rotineiras.

O fato é que dá para evitar a gravidez precoce com algumas medidas que deveriam ser corriqueiras, porém por uma questão de trato ou estilo de vida podem acabar sendo vistos como sendo tabus para muitas famílias.

O que fazer para evitar a gravidez na adolescência?

É preciso que se possa falar abertamente sobre o assunto. Não adianta fechar os olhos e pensar que seu filho não passa pela fase da descoberta do sexo ou não pensa no assunto. Reprimir não é o caminho porque se a informação e o diálogo não acontecem dentro de casa, o adolescente buscará as informações lá fora, de fontes que não necessariamente serão as mais completas ou adequadas. Por mais que algumas escolas já tenham posto o tema em pauta, é preciso que a família entenda que essa também é uma responsabilidade a ser assumida.

Os pais precisam se acostumar com a ideia de que certas coisas devem ser ditas independente do constrangimento que possam causar ou até de preceitos religiosos: do mesmo modo com que já se fala sobre o problemas das drogas, o diálogo precisa ser estendido, para a importância do uso de métodos contraceptivos e da importância do preservativo para evitar doenças sexualmente transmissíveis. É preciso tirar as dúvidas desses jovens para que a descoberta do sexo não dê brechas para consequências inesperadas, como uma DST ou um filho.

Ao contrário do que muitos pensam, o diálogo ou o acesso a métodos de proteção não significam incentivar os adolescentes ao sexo precocemente, porém faz com que eles sejam mais conscientes a respeito das responsabilidades a respeito do ato sexual e de cuidados que isso implica ao próprio corpo.

Caso não saiba como começar uma conversa a respeito, crie um gancho, uma oportunidade. Compre revistas que possam tirar esse tipo de dúvida e colocar o assunto em pauta de uma forma suave, pois é uma forma de dar início a atmosfera do diálogo. Caso não consiga em uma primeira ou segunda oportunidade, dê brechas para que seu filho saiba que pode falar sobre o assunto, pois você estará lá para responder ao que for necessário explicar.

A verdade é que é preciso entender o seguinte: é melhor prevenir do que remediar. E já que hoje prevenir uma gravidez precoce é tão fácil, por que deixar que certas coisas aconteçam por falta de tão pouco?

Diálogo sempre.

Top