Dicas para comprar um carro usado

A compra de carro usado exige cuidados para evitar a aquisição de um veículo em mau estado ou roubado. O ideal é adquirir de…

Por Editorial MDT em 17/02/2012

Leve em conta vários fatores antes de comprar um carro usado.

A compra de carro usado exige cuidados para evitar a aquisição de um veículo em mau estado ou roubado. O ideal é adquirir de pessoa conhecida e de confiança. Como isto nem sempre é possível, é preciso prevenir antes de fechar qualquer negócio. Para que a satisfação da compra não se torne uma dor de cabeça, recomenda-se fazer uma pesquisa e avaliar qual é o modelo que mais se adapta às condições do comprador. Para não correr o risco de se arrepender, é preciso avaliar as condições de uso do veículo. Não deixe de verificar a autenticidade dos documentos, do número do chassi, o estado de conservação e a parte mecânica e funilaria do carro.

Acerte na escolha do carro usado

•Preços
Pesquise em jornais e revistas que divulgam tabelas de preços de mercado para a compra e venda de veículos é. Os preços dos carros variam muito de acordo com as características. Para avaliar se o preço do carro está compatível com o de mercado leve em conta, além do modelo, cor, ano de fabricação, quilometragem, opcionais (alarme, som, desembaçador, vidro elétrico etc…), o estado geral do veículo. Não se esqueça de computar os custos de eventuais reparos a serem feitos

Dicas utéis

Todas as partes do veículo precisam ser avaliadas antes da compra.

Parte externa do veículo
•Examine o carro à luz do dia, nunca em locais fechados e escuros e exija ver o veículo seco (a aparência do carro molhado pode enganar);

•Teste o amortecedor balançando o carro para baixo, segurando no pára-choque na direção da roda. Se, ao largá-lo, o veículo balançar duas ou mais vezes, o amortecedor está em más condições;

•Observe ondulações e pequenos amassados na lataria: se houver diferenças nas quinas do capô, é provável que o carro tenha sido batido;

•Se houver bolhas na pintura, cuidado: é sinal de que há ferrugem. Os locais onde a ferrugem é mais frequente são os seguintes: junto às borrachas, debaixo das portas, embaixo dos pára-lamas, nas arestas inferiores da carroceria, junto às canaletas e nas bordas das tampas do capô do motor e do bagageiro;

•Desgastes irregulares nos pneus podem indicar problemas com a suspensão, falta de alinhamento ou balanceamento das rodas.

Com o veículo em movimento

•Motor
Para checar a compressão do motor, reduza a velocidade bruscamente ou desça uma ladeira em segunda marcha. A velocidade deve reduzir.

•Freios
Freie normalmente o carro. Se houver ruído metálico, as pastilhas estão gastas. Em um lugar plano, freie o veículo soltando as mãos da direção. Se o carro puxar para um dos lados, há problemas no freio, na suspensão ou os pneus não estão calibrados corretamente.

•Caixa de Marchas
Engate todas as marchas e verifique se produzem barulho anormal.

Com o capô aberto

•Chassi
Confira se o número do chassi que vem gravado perto do motor, no vidro e em vários locais, confere com o que consta no certificado de propriedade do veículo. Os números e letras do chassi e da plaqueta de identificação devem estar alinhados, com os seus espaçamentos regulares e os contornos das letras e números uniformes. Veja se não há sinais de solda próximos da identificação.

•Óleo
Retire a vareta do compartimento do óleo e avalie o seu aspecto quanto ao nível e viscosidade.

Dentro do Carro

•Sistema Elétrico
Examine todos os comandos, como faróis, limpadores de pára-brisas, desembaçador, indicadores de direção (pisca-pisca), luzes de freio, buzina, velocímetro, sinalização de emergência (pisca-alerta), indicador de temperatura etc.

•Freios
Com o motor ligado e o carro parado, acione o freio, mantendo o pé no pedal por algum tempo. Se ele abaixar aos poucos, é sinal de que há vazamento de fluído de freio.

Todo cuidado é pouco para não adquirir um automóvel com problema.

Antes de concluir o negócio é preciso checar a documentação do veículo junto aos órgãos públicos, como Detran, Secretaria da Fazenda e o Poder Judiciário. Com essa verificação o comprador se certifica que não há mandado de busca e apreensão do veículo, além de verificar possíveis débitos de IPVA e multas.

 

Top