Você está em: MundoDasTribos > Bem Estar> Dicas de estudo para quem tem dislexia

Dicas de estudo para quem tem dislexia

A dislexia é um problema bastante comum e que nem sempre é devidamente diagnosticado e tratado. Esse distúrbio compreende uma falha em adquirir habilidades de escrita, leitura e soletração que seriam esperadas de acordo com o desempenho intelectual, mesmo com total acesso à escolarização regular. Saiba mais sobre o assunto e confira dicas de estudo para quem tem dislexia.

A dislexia é um problema bastante comum. (Foto: divulgação)

A importância da intervenção precoce

O diagnóstico e tratamento precoce são fundamentais para que o portador de dislexia consiga superar suas dificuldades e ter uma vida o mais próximo possível da normalidade, pois segundo estudos científicos, quanto mais tempo a pessoa é obrigada a conviver com o problema de leitura e escrita, menores são os efeitos da intervenção.

Dicas de estudo para quem tem dislexia

A maneira como os pais e professores lidam com o aluno disléxico contribui e muito para sua evolução e desenvolvimento de novas habilidades. Confira dicas para ajudar portadores de dislexia e saiba como lidar melhor com essas pessoas:

  • Sugerir dicas, associações e diferentes meios de fazer determinada tarefa podem ajudar a pessoa com dislexia a resolver problemas com maior facilidade;
  • De forma alguma o disléxico deve se expor na frente de outras pessoas, sejam colegas de classe ou até mesmo irmão e amigos na hora de fazer o dever de casa. Tarefas como ler em voz alta ou ir à lousa podem ser extremamente complicadas e frustrantes;

    O portador de dislexia não deve ser exposto a situações embaraçosas. (Foto: divulgação)
  • O ambiente de estudo deve ser adequado às necessidades do portador de dislexia, que podem variar de uma pessoa para outra. Enquanto alguns disléxicos preferem estudar ouvindo música e se concentram melhor, outros gostam de escrever no chão ao invés da escrivaninha;
  • É preciso permitir que o pequenino realize suas tarefas da maneira que lhe for mais fácil e mais eficiente. Ajudar a criança a identificar essas formas é fundamental;
  • O disléxico deve ser tratado com naturalidade, da mesma forma que é tratado qualquer outro aluno. O distúrbio não deve servir de desculpas para sua vitimização e muito menos motivo para descriminação;
  • Use uma linguagem objetiva e o mais clara possível, especialmente ao passar instruções;
  • Durante a comunicação, fale olhando diretamente para ele. Isso facilita a concentração na conversa;
  • O aluno com dislexia deve sentar nas primeiras carteiras, perto do professor. Essa é uma maneira simples e eficiente para facilitar o acompanhamento do aluno e poder orientá-lo quando for preciso, além de fortalecer vínculos de confiança;
  • Antes dos professores apagarem a lousa ou dos pais virarem a página do livro, é preciso verificar, de maneira discreta, se o aluno fez todas as devidas anotações corretamente;
  • Portadores de dislexia possuem ritmo diferente dos não disléxicos, e por isso não é saudável submetê-los à pressão de tempo;
  • A criança deve ser sempre estimulada a acreditar mais em si mesma e sentir-se capaz e segura. Não é incomum o disléxico relatar um histórico de frustrações e humilhações que destroem sua autoestima.
O ambiente de estudo deve ser adequado às necessidades da criança os pais não devem pressionar. (Foto: divulgação)

A dislexia é um problema bastante frequente, que afeta a capacidade de leitura, escrita e soletração. Esse distúrbio deve ser diagnosticado o mais cedo possível, para que possa ser feita a intervenção adequada e tanto os pais, como amigos e professores podem ajudar o disléxico a enfrentar seus problemas.

Recomendado para você
Bem Estar

Unha inflamada: o que fazer, como tratar

Beleza

Tratamento Capilar Barato – Preços, Clínicas

Bem Estar

As melhores cidades para morar em 2017

Bem Estar

Tintas para gesso, como escolher

Comentários

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *