Dicas de Cremes para a Região dos Olhos

Não é surpresa para ninguém que a mulherada realmente se preocupa com a aparência, tendo cuidados especiais com a pele e em especial na…

Não é surpresa para ninguém que a mulherada realmente se preocupa com a aparência, tendo cuidados especiais com a pele e em especial na região dos olhos, onde o tempo não dá uma trégua. Trata-se de uma região muito sensível, mais propensas a rugas e marcas que conformem se fazem visíveis e não dão paz a vaidade feminina. Como a ideia comum é a de que o peso das marcas da idade não é o mesmo para homens e mulheres, acaba sendo muito comum apelar desde cedo para cremes e tratamentos preventivos.

De acordo com o portal M de Abril, para usar creme na região dos olhos, a início dependerá muito do tipo de pele que será tratada. Peles secas e normais podem precisar de tratamento precoce, assim como aquelas com pele, olhos claros e problemas de visão, iniciando esses cuidados aos 25 anos. Quem não faz parte desse grupo pode começar a pensar nisso a partir dos 30 ou 35 anos.

Para quem já começou a se preocupar com isso, é importante afirmar que os cremes faciais nem sempre são seguros para usar nesta região: alguns deles pode conter ingredientes fortes demais para uso em torno dos olhos, podendo provocar reações adversas, como ardência e queimação. Também é preciso lembrar que os produtos escolhidos devem ser antialérgicos e dermatologicamente testados. Esse tipo de cuidado evita muitas dores de cabeça.

A respeito dos cremes:


Se o plano é retardar um pouco os efeitos do tempo é bom saber que o tratamento preventivo se baseia em hidratação e proteção solar. De acordo com a matéria “Olhos nos Olhos” da revista Marie Claire, a partir dos 25 é possível usar cremes à base de uréia, ceramidas, ácido hialurônico ou alantonina, que devem ser aplicados de manhã e de noite. Já após os 35, o potencial de hidratação tem de ser intensificado e os cremes devem atuar também na renovação celular. Isso significa que os produtos devem vir carregados de vitaminas (A, C e E), ácidos (glicólico, lácteo, hidroxiácidos) e princípios ativos com função de combater os radicais livres.

Mas, como é importante não arriscar, não se esqueça de consultar um dermatologista. Além de orientações, pode ser que a medida mais eficiente seja a de usar um produto receitado por ele, feito sob medida para cada tipo de pele e com mais chances de sucesso em seu tratamento.

Para aplicar o produto, lembre-se de seguir o que é recomendado pelo rótulo ou bula. A verdade é que usando-o da forma correta, embora a quantidade pareça insuficiente, os benefícios podem ser muito maiores do que os de simplesmente fazer uso de muito creme. Sem contar um outro detalhe importante: usá-lo de forma correta também pode significar a economia do seu dinheiro.

Na hora de aplicar o creme, lembre-se das regras de ouro, também descrita pela mesma reportagem da Marie Claire: usar o dedo anular, e deslize de dentro para fora na pálpebra superior, e de fora para dentro na pálpebra inferior. Isso vale para qualquer tipo de produto.

Lembre-se que, por melhor que os cremes sejam eles não representam a cura das rugas ou das marcas de expressão, portanto, na medida do possível, procure aceita-las. Afinal, correr atrás da eterna juventude pode ser algo muito estressante e cansativo e isso definitivamente não ajuda em nada na sua saúde e nem na  sua aparência.

Top