Descubra quais são os principais riscos da vasectomia

Vasectomia: entenda o que é e quais as vantagens e os seus riscos O planejamento familiar envolve toda a família. Decidir o número de…

Por Editorial MDT em 27/10/2011

Vasectomia: entenda o que é e quais as vantagens e os seus riscos

O planejamento familiar envolve toda a família. Decidir o número de filhos e quem será submetido à cirurgia, são questões importantes, que devem ser resolvidas pelo casal.

Muitos homens temem realizar a vasectomia, na maioria das vezes, por não conhecerem sobre o processo cirúrgico.

Diferente do que muitos pensam, a vasectomia não é uma “castração humana”.  O ato cirúrgico consiste na retirada de um fragmento de cada um dos canais (ductos deferentes), que são responsáveis em levar os espermatozóides dos testículos ao pênis. A cirurgia não resulta em mudança na ereção masculina ou mesmo no seu desenvolvimento sexual, pois não afeta nervos nem os vasos sanguíneos. O que mudará, após cirurgia, é a não saída dos espermatozóides do testículo, resultando em um sêmen estéril.

De um modo geral, quais os riscos e as vantagens?

Em comparação com a laqueadura, a vasectomia é a melhor opção, por apresentar menos riscos, dentre eles:

  1. Não é necessário internação. O procedimento demora, em média, 30 minutos e após a sua realização o homem pode deixar o local andando;
  2. A anestesia utilizada é local;
  3. O corte realizado é bem pequeno, não necessitando de cuidados e observações especiais;

Vale ressaltar que, apesar de ser um procedimento reversível, na teoria, o índice de sucesso nas cirurgias de reconexão dos canais é muito pequeno, portanto, antes de realizar a cirurgia, tenha certeza!

A vasectomia é um procedimento muito seguro, apesar  que toda cirurgia possui riscos. O médico especialista é o mais indicado para informá-lo a respeito deles.  De um modo geral, os principais riscos são:

  1. Os tecidos ao redor podem ficar inchados, após o procedimento;
  2. A anestesia pode não fazer o efeito esperado, podendo causar um leve desconforto durante a realização da cirurgia;
  3. Há risco de infecção;
  4. Pode ser que mesmo após alguns meses, ainda estejam presentes alguns espermatozóides no esperma do indivíduo.

A principal vantagem está no controle da natalidade, por se tratar de um método extremamente seguro para evitar gravidez, não tendo que interromper o ato sexual ou a mulher ter que fazer uso de nenhum método contraceptivo oral. Porém, em tempos de AIDS e qualquer outra DST, é necessário sempre estarmos atentos, não podendo descartar o uso de preservativos durante as relações sexuais, visando a sua proteção contra as doenças.

Qualquer homem pode ser submetido a esse tipo de cirurgia, contudo, se o procedimento for realizado pelo SUS, é necessário obedecer dois critérios: ser maior de 25 anos e ter, no mínimo, dois filhos.

Não tenha medo, converse com sua esposa e opte pelo melhor!

 

 

 

Top