Depressão econômica: o que é?

PUBLICIDADE

A depressão econômica é um conceito da economia que caracteriza um período de profunda recessão. Entre os principais elementos de recessão econômica temos desemprego em massa, aumento da inflação, dos juros, falência de empresas e companhias e outros índices negativos para o mercado.

Depressões econômicas são difíceis de acontecer nos dia de hoje, mas ainda pairam como uma ameaça ao mercado financeiro mundial. E entendê-las é entender um pouco da história da economia mundial.

Como a depressão econômica afeta as pessoas?

A sociedade é profundamente afetada pela depressão econômica, famílias inteiras sofrem as consequências de algo que sequer poderiam entender perfeitamente.

PUBLICIDADE
Como a depressão econômica afeta as pessoas
Fonte/Reprodução: original

Por se tratar de uma recessão, a depressão econômica afeta as pessoas especialmente nos seguintes campos:

  • Desemprego;
  • Inflação;
  • Juros altos;
  • Falência de empresas.

Se analisarmos as depressões econômicas que já existiram como a de 1929, encontraremos situações catastróficas, de cidadãos que perderam o seu sustento e ainda assim ao tentar procurar por algum tipo de mantimento nos mercados foram recebidos por uma alta de preços absurda.

Em resumo, a depressão econômica é uma situação desesperadora e só traz males para a sociedade. Mesmo após passar, esse tipo de situação é tão catastrófica que deixa marcas que demoram para ser apagadas.

Como ocorre uma depressão econômica?

Não existe uma só causa para a depressão econômica, mas sim diversas causas diferentes que por conta da interdependência financeira que diversos setores da economia apresentam tornam a depressão econômica algo possível.

Por exemplo, a depressão de 1929 se deu por fatores muito desconexos que infelizmente quando somados deram produto à grande recessão. O fim da Primeira Guerra destruiu alguns países da Europa, que por estarem sem recursos e desesperados apelaram para a importação de recursos dos Estados Unidos.

Embalados pela recente expansão nas exportações, os Estados Unidos começaram a ter uma alta de crédito para empresas que exportavam. Quando os países se recuperaram a fonte de importações secou e foi dado o golpe final que rolou a bola de neve da depressão de 29.

PUBLICIDADE

Houveram outros motivos, menos importantes, mas este breve episódio já mostra a complexabilidade do assunto.

No que a depressão econômica se diferencia da depressão clínica?

A depressão clínica tem muito pouco a ver com a depressão econômica, salvo o seu nome. Entretanto, há um paralelo macabro mas real entre ambas. A depressão econômica produziu um grande número de depressões clínicas.

O assolamento econômico levou inúmeras pessoas a apresentarem sintomas de depressão clínica em países que sofreram com a depressão econômica. Sendo que alguns casos resultaram em trágicos suicídios.

O que fazer para superar a depressão econômica?

Assim como existem causas diversas para a depressão econômica, também existem diversos meios para se recuperar de uma. A primeira é fechar as linhas de crédito, o Estado não deve promover ou incentivar o crédito seja para empresas, seja para pessoas físicas.

O que fazer para superar a depressão econômica
Fonte/Reprodução: original

Também é preciso abrir os olhos para uma situação de estresse financeiro que deverá ser superada. É impossível sair de uma depressão econômica sem engolir o amargo remédio da escassez, mesmo momentânea.

E por fim, o mercado tem a tendência de se auto regular nestas situações. Em muitos casos a pouca interferência do Estado ajuda.

Resultados de uma depressão econômica?

Uma depressão econômica causa uma recessão histórica que é sentida durante muitas gerações. Especialmente na forma de inflação e juros altos.

Também não é raro que o mercado se torne mais arredio e desconfiado com determinado Estado após uma depressão econômica. Esses episódios de forte recessão são realmente capítulos negros da história da economia.

Leia também:

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.