Depilação Definitiva da Barba

Os pêlos em lugares indesejados são capazes de acabar com o humor de muita gente. Embora os métodos de depilação possam ser estendidos a…

Os pêlos em lugares indesejados são capazes de acabar com o humor de muita gente. Embora os métodos de depilação possam ser estendidos a todos os gostos e bolsos, muitos se incomodam com a frequência com que precisam lançar mão do procedimento. E nesse caso não são só as mulheres que se irritam nesse assunto: muitos homens estão incomodados e parecendo mais dispostos a andar com a pele lisinha por aí.

Grande parte das reclamações masculinas diz respeito a barba e não necessariamente por uma questão de vaidade, mas também de praticidade. É que a barba pode crescer tão rápido e com pelos tão espessos que o velho método da lâmina de barbear pode não ser tão indolor quanto promete, sem contar que eles voltam a crescer em menos de 48 horas. Com isso os homens já pensam em meios mais duradouros de minimizar o problema e até se veem dispostos a soluções mais radicais, como é o caso da depilação definitiva.

E sim: existe um modo de fazer a depilação definitiva da barba, e ela se dá pelo uso do laser.

De acordo com especialistas são necessárias de 8 a 10 sessões mensais. Um tratamento que parece longo mas que é necessário para garantir a eficácia. É que é preciso fazer uma varredura completa da região afetada, pois o laser ataca o pelo em uma fase de crescimento específica.

Ah, e também não pense que os resultados são imediatos: o método leva algum tempo para começar a fazer efeito, pois os pelos só começam a cair depois de quinze dias. Porém, para os mais ansiosos resta um consolo: uma vez que o pelo seja atingido na fase certa, ele não volta a crescer, ou nas raras vezes em que algum fiozinho teimoso resolve dar sinal de vida após muito tempo, ele é tão fininho que fica fácil remover.

Continuar Lendo  Sombras coloridas: dicas para usar

Para quem está pensando seriamente em se submeter a depilação definitiva, é importante procurar um dermatologista, que poderá fazer uma avaliação e indicar se você está apto ou se há contraindicações. Sua avaliação também levará em consideração o tipo de pelo e a cor da pele do paciente para indicar qual tipo de laser será utilizado: Photoderm (LID), Epilaser (Laser de Rubi) e Light Sheer (Laser Diodo).

O dermatologista também pode auxiliar quanto a escolha da clínica, que deve ser feita com cuidado: o laser pode causar manchas e queimaduras na pele dependendo do manuseio, por isso os procedimentos devem ser feitos por pessoal treinado.

O paciente também precisa fazer a sua parte já que a pele ficará sensível e exigirá maiores cuidados que o habitual, por isso deverá respeitar todas as recomendações dadas pelos profissionais que acompanham seu caso.

O fato é que pode até ser trabalhoso, mas os resultados tendem a compensar todo o tempo e o investimento gasto entre cuidados, precauções e tratamentos. Nada melhor do que se ver livre daquilo que tanto incomoda, especialmente quando isso atrapalha sua rotina.

Para quem se interessou, o recomendado é cautela: como foi dito acima procure um especialista para saber se há ou não contraindicações e cheque todas as referências possíveis sobre a clínica escolhida. São coisas que evitam muitas dores de cabeça mais tarde.

Top