Crianças obesas têm maior risco de vir a sofrer com infartos

A obesidade infantil se tornou uma epidemia mundial, que já começa a preocupar a saúde pública. Somente no Brasil, os casos de crianças obesas…

Por Isabella Moretti em 30/09/2012

A obesidade infantil se tornou uma epidemia mundial, que já começa a preocupar a saúde pública. Somente no Brasil, os casos de crianças obesas quadruplicaram entre as crianças de 5 a 9 anos. O peso excessivo passou a afetar 16,6% (meninos) e 11,8% (meninas).

Estudo descobre que a obesidade infantil é mais perigosa do que se imaginava. (Foto:Divulgação)

Em outros países a obesidade também tem se mostrado um problema preocupante. Um estudo britânico constatou que crianças obesas possuem mais riscos de sofrer com problemas cardíacos, inclusive infarto.

Criança obesa tem 40% mais chance de infartar no futuro

Uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, constatou que crianças obesas tem maior risco de vir a sofrer com infartos no futuro. As chances de desenvolver doenças isquêmicas cardíacas também são maiores, em comparação com os jovens que têm peso normal. O resultado completo do estudo foi divulgado na revista British Medical Journal (BMJ), na última quarta-feira (26).

Para chegar à conclusão de que a obesidade infantil aumenta as chances de infarto, o estudo de Oxford se baseou em 63 pesquisas anteriores, que consideraram os dados de 49.220 participantes saudáveis, com idade entre 5 e 15 anos.

Veja também: Crianças obesas apresentam maiores riscos para problemas cardíacos

Fatores como colesterol alto, pressão arterial elevada e excesso de triglicérides no sangue aumentam as chances de infarto. (Foto:Divulgação)

Depois de analisar os dados coletados, os pesquisadores descobriram que as crianças obesas e com sobrepeso tinham pressão arterial elevada, alta concentração de colesterol ruim e altos níveis de triglicérides no sangue. Estas características revelam que os jovens acima do peso ideal estão mais arriscados aos problemas cardiovasculares, em comparação com o grupo de crianças que tem o IMC dentro da normalidade.

O risco da criança obesa sofrer com o infarto no futuro é muito significativo. De acordo com a pesquisa britânica, as chances são de 30% a 40% maiores. Descobriu-se também que a obesidade infantil representa um risco imediato para o indivíduo, que pode desenvolver diabete do tipo 2 e também apresentar níveis elevados de ácido úrico no organismo.

Doenças cardíacas cada vez mais precoces

Além de aumentar risco de infarto, a obesidade também oferece risco imediato. (Foto:Divulgação)

Segundo o médico João Vicente da Silveira, do Hospital São Luiz, os jovens estão apresentando doenças cardiovasculares cada vez mais cedo, sendo que a principal causa deste problema é a obesidade.

O resultado do estudo de Oxford serve de alerta para todos, pois sinaliza que a obesidade infantil representa um perigo eminente para o futuro das crianças de todo o mundo. Por isso, o estilo de vida e os hábitos devem ser repensados, para conter o número de jovens com sobrepeso ou obesos.

A ameaça de infarto na vida adulta demonstra que a obesidade infantil acomete o indivíduo a longo prazo. Para evitar as doenças em virtude do excesso de peso, as crianças devem manter uma alimentação adequada, praticar exercícios físicos e, consequentemente, deixar a vida sedentária de lado.

Saiba mais: Hábitos que previnem obesidade infantil

Top