Crianças depressivas: saiba como lidar com a situação

Nos últimos anos a depressão tornou-se uma preocupação frequente. Uma epidemia silenciosa que atinge uma estimativa de 450 milhões de pessoas de acordo com…

Nos últimos anos a depressão tornou-se uma preocupação frequente. Uma epidemia silenciosa que atinge uma estimativa de 450 milhões de pessoas de acordo com a Organização Mundial da Súde (OMS) e que nos próximos 20 anos pode vir a se tornar a doença mais comum do mundo. O problema é que essa dor não é exclusiva para gente grande. A depressão também pode atingir adolescentes e até crianças.

A depressão infantil

De acordo com dados de matéria publicada pelo portal IG, a OMS estima o diagnóstico de depressão em crianças passou de 4,5% para 8% nos últimos dez anos e assim como no caso dos adultos, a depressão infantil acontece independentemente da condição econômica, social e cultural.

Pode ser provocada por fatores variados: predisposição genética, interação com a família, acontecimentos e condições as quais estão expostas em sua vida. E o pior: caso não seja tratada a doença pode acarretar em problemas para o desenvolvimento da criança, com consequências diretas a vida adulta. Dados do portal IG indicam que 75% dos adultos com quadro de depressão crônica apresentam um histórico da doença que vem desde a infância, podendo começar a manifestar sinais suficientes para um diagnóstico a partir dos 4 anos.

Quais são os sintomas da depressão infantil?

Existem alguns indícios que podem servir como sinais de alerta para pais, professores e responsáveis. Alguns merecem mais atenção por serem mais comuns a determinadas faixas etárias.

De acordo com o portal IG, as crianças até cinco anos tendem ter sinais como crises de choro, insônia, pesadelos, xixi na cama (enurese), eliminação de fezes involuntariamente (encoprese) e regressão do desenvolvimento psicomotor. Já dos 6 aos 12, os aspectos relacionados a sociabilidade e relacionamentos falam muito mais alto e após dos 12, esses sintomas ganham mais intensidade. Se houver pelo menos cinco dos sintomas abaixo e com uma duração de duas semanas, é importante procurar ajuda profissional.

  • Xixi na cama ou eliminação involuntária das fezes.
  • Sensibilidade e irritação exageradas.
  • Crises de tristeza e choro fáceis.
  • Comportamento agressivo ou violento.
  • Ansiedade.
  • Alterações de sono, dormindo muito ou quase nada.
  • Alterações de apetite ou alimentação.
  • Pouco ou nenhum interesse em seus hobbies ou atividades preferidas.
  • Dificuldade de concentração.
  • Queixas frequentes a respeito de cansaço e falta de disposição.
  • Reclamação frequente de dores de cabeça e estômago.
  • Queda no rendimento escolar.
  • Não quer mais ir a escola.
  • Tendências a isolamento dos amigos e da família.
  • Sentimento de rejeição.
  • Tende a desvalorizar o que diz respeito a si, está constantemente insatisfeito e demonstra baixa autoestima.

Tratamento da depressão em crianças

É importante que a família não ignore os sintomas e procure ajuda especializada para que possa ser feito um diagnóstico correto. O transtorno deve ser tratado o quanto antes, sendo que até os nove anos a indicação é de que o tratamento seja apenas a terapia.

Após essa idade, também pode haver o uso de medicamento receitado por um especialista, mas em paralelo com o tratamento psicológico.


Top