Crianças daltônicas: o que fazer

O daltonismo é um problema visual caracterizado pela incapacidade de diferenciar todas ou algumas cores. O exemplo mais comum é o de pessoas que…

É possível detectar o daltonismo ainda na infância.

O daltonismo é um problema visual caracterizado pela incapacidade de diferenciar todas ou algumas cores. O exemplo mais comum é o de pessoas que não conseguem distinguir o verde do vermelho. Essa doença tem, normalmente, origem genética, ou seja, é herdada, transmitida de pais para filhos. Mas, é possível desenvolver o daltonismo após lesão nos olhos ou em algum nervo ocular.

A doença ficou conhecida no século XVIII, e recebeu esse nome por ser descoberta por John Dalton, o primeiro cientista a estudar o daltonismo. O interessante é que o Próprio Dalton era daltônico, o que fez com que se interessasse pelo problema.

Tipos de daltonismo

  • Monocromacia

Quem possui monocromia enxerga em preto e branco. Isso ocorre devido a um problema nas células chamadas bastonetes, responsáveis pela percepção de luminosidade. Elas conseguem captar apenas os tons de cinza, fazendo com que o indivíduo não perceba cores definidamente.

  • Protanopia

Ao possuir protanopia o indivíduo é impossibilitado de discriminar cores vermelhas e suas variações. O problema está na ausência de células chamadas “cones vermelhos”, que deveriam estar presentes na retina para captar a visão dessa coloração.

  • Deuteranopia

É o indivíduo que possui ausência de cones que percebem o verde e suas variações. É uma das formas mais raras de daltonismo.

  • Tritanopia

Quando a pessoa não apresenta os cones que percebem a cor azul e suas variações. Ou seja, não há percepção da coloração azulada.

  • Deuteranomalia

Esse é o tipo mais frequente da doença. Responsável por cerca de metade dos casos de daltonismo. O indivíduo apresenta uma mutação nas células dos olhos impossibilitando a percepção das cores verdes. O portador desse tipo de daltonismo tem uma maior dificuldade em discriminar o verde.

Teste numérico de Ishihara para detecção do tipo de daltonismo.

Existe cura para o daltonismo?

Apesar de todo avanço da medicina, até hoje não se conhece um tratamento que realmente possa curar o daltonismo. A doença é uma deficiência, na maioria dos casos herdada de pais para filhos, devido a alguns cromossomos imperfeitos. A única forma de deixar a visão normal seria através de tratamento genético. Já existem cientistas realizando pesquisas com cobaias, mas ainda estamos muito distantes de um tratamento para humanos.

Leia Também:  Batom: como escolher

Daltonismo em crianças

É fácil identificar o daltonismo em crianças. Ao observar uma atividade como a de colorir um desenho, podemos perceber se o pequeno possui alguma dificuldade em relação a percepção das cores.

Para fazer o diagnóstico usa-se o teste de Ishihara. Este é composto por diversos cartões que contêm círculos de vários tamanhos e cores; no centro desses círculos encontram-se números que apenas são fáceis de serem identificados por alguém que não seja daltônico, ou seja, que tenha uma excelente percepção das cores. Para testar as crianças, os números poderão ser trocados por desenhos ou figuras geométricas.

Teste de Ishihara para crianças - O barco não é detectados por portadores de daltonismo que não percebem o vermelho e suas variações.

Problemas que as crianças enfrentam

O maior problema que uma criança portadora de daltonismo pode apresentar é a dificuldade no aprendizado. Por isso, ela deve ter um acompanhamento diferenciado, para poder se adequar a escola e aprender corretamente. O médico oftalmologista pode ajudar bastante em relação a esse problema.

O que fazer com uma criança que possui alguma dificuldade em distinguir cores vai depender de caso para caso. Algumas precisarão de uma ajuda extra, mas a maioria não precisa de qualquer ajuda. Não é necessário que os pais se preocupem demasiadamente, o daltonismo é um problema que não ocasiona grandes transtornos na vida do indivíduo.

Top