Cai a criação de empregos formais em relação ao ano anterior

De janeiro a setembro deste ano, o número de empregados com carteira assinada chegou a 2,07 milhões. Este número foi obtido segundo o Cadastro…

De janeiro a setembro deste ano, o número de empregados com carteira assinada chegou a 2,07 milhões. Este número foi obtido segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e divulgado hoje pelo Ministério do Trabalho.

Quanto ao acumulado, os números do Caged mostram declínio de 16,5% em comparação ao mesmo período de 2010, quando o número de vagas abertas era de 2,49%. A comparação também mostra queda quando o parâmetro é 2008, no qual foram criados 2,25 milhões de vagas com carteira assinada.

Já quanto ao mês de setembro, foram criadas 209.078 vagas consideradas formais. O número representa declínio de 15,3% frente ao mesmo período do ano passado quando os dados foram de 246.875 empregos. Além disso foi considerado o pior mês desde 2006. Apesar do resultado, o desempenho não preocupa o ministro do trabalho e emprego Carlos Lupi. De acordo com ele, embora a criação de empregos esteja abaixo da média, ainda é robusta, tendo em vista o cenário de crise internacional, sendo maior que a do mês de agosto, quando 199 mil empregos foram criados.

Meta deve ficar abaixo do esperado.

No mês passado, o ministro declarou que o ano de 2011 deve ter uma criação de empregos abaixo da meta de 3 milhões de vagas, devendo ficar entre 2,7 e 2,9 milhões de novos postos.

Top