Convulsões frequentes: o que pode ser

Algumas pessoas sofrem com as convulsões que podem aparecer em qualquer momento do dia. Muitas causas estão relacionadas ao desenvolvimento do problema neurológico. Devido…

Por Editorial MDT em 15/12/2012

Algumas pessoas sofrem com as convulsões que podem aparecer em qualquer momento do dia. Muitas causas estão relacionadas ao desenvolvimento do problema neurológico. Devido a isso, separamos algumas informações sobre o que podem ser as convulsões frequentes.

Saiba o que fazer diante de um indivíduo com convulsão.

A convulsão pode estar relacionada a causas intra ou extra cranianas. (Foto: divulgação)

Conhecendo um pouco mais sobre o termo convulsão

A convulsão é o termo que define os movimentos involuntários e incontroláveis que são resultados de uma descarga elétrica excessiva nos neurônios. Ela é apenas um sinal clínico de que está acontecendo algum problema que está afetando o sistema nervoso central, mas que não necessariamente é uma causa cerebral. A depender do tipo de descarga elétrica e a manifestação clínica, a convulsão pode variar sua apresentação.

Reconhecendo os tipos de convulsão

As convulsões são divididas em dois tipos, a parcial ou focal e a generalizada. A do tipo parcial é manifestada quando uma parte do cérebro (hemisfério) é atingida por uma descarga elétrica de impulsos elétricos desorganizados. Já a generalizada acontece quando os dois hemisférios são afetados.

Saiba o que pode ser as convulsões frequentes. (Foto: divulgação)

Diferença entre convulsão e epilepsia

A epilepsia é caracterizada pela súbita perda do controle dos movimentos, podendo estar associada à convulsão. Além disso, a pessoa portadora de epilepsia pode manifestar após a crise, alteração do nível de consciência, alteração motora, sensorial, autonômica e comportamental.

Saiba quais são as causas relacionadas à convulsão

São diversas as causas que podem estar associadas à convulsão. Assim, segundo especialistas, elas podem ser divididas em intracranianas e extracranianas.

  • Intracranianas – relacionadas a distúrbios cerebrais, como distúrbios funcionais dos neurônios ou lesões cerebrais estruturais que alteram a atividade neuronal. Em alguns casos, pode ser sinais de neoplasias, infecções e inflamações cerebrais. Conheça abaixo alguns exemplos de doenças que manifestam esse tipo de convulsão.

– Congênitas: hidrocefalia, displasia neuronal;

– Traumáticas: hemorragia (difusa ou hematoma), edema cerebral, cicatriz pós trauma;

– Acidente vascular cerebral (derrame);

– Inflamatórias: meningite asséptica, meningoencefalite granulomatosa;

– Infecciosas: viral, bacteriana, erliquiose, toxoplasmose;

– Neoplasias (câncer): câncer cerebral primário, metástase cerebral.

  •  Extracranianas – como a própria definição já mostra, são as causas relacionadas a problemas em outros órgãos e que, de forma indireta, afeta, os neurônios, como por exemplo, distúrbios metabólicos graves.

    As convulsões afetam um grande número da população.(Foto: divulgação)

É muito comum, conhecer indivíduos que apresentam convulsões. Como foi visto anteriormente, são diversas as causas que estão relacionadas ao seu aparecimento. Assim, após conhecer um pouco mais e diante de qualquer sinal, é ideal buscar a orientação de um especialista, uma forma de evitar futuras consequências.

Saiba mais sobre os desmaios frequentes.

Top