Conheça os vários tipos de esfoliação

Para manter a pele do rosto sempre bonita, lisa, sedosa e macia, a esfoliação é essencial, pois ela é responsável pela renovação celular. Além…

Por Editorial MDT em 28/09/2011

Para manter a pele do rosto sempre bonita, lisa, sedosa e macia, a esfoliação é essencial, pois ela é responsável pela renovação celular. Além do mais, ela ajuda a eliminar marcas, acnes, manchas e a aspereza da pele do rosto, porque ela estimula a produção de células novas, que aparecem com mais colágeno, o que torna a pele mais hidratada e saudável. Além do rosto, a esfoliação deve ser feita nas partes mais secas do corpo como as coxas, os joelhos, os pés, os peitos dos pés, as costas, os braços, as nádegas e os dorsos das mãos.

Existem 3 tipos de esfoliação: a física, a química, a enzimática e a caseira, cada uma com as suas propriedades próprias para cada tipo de pele. Portanto, antes de escolher a sua esfoliação, consulte um dermatologista, que vai te indicar a melhor para o seu tipo de pele, sem causar-lhe danos futuros.

A esfoliação física é feita com produtos compostos por pequenos grânulos, que são redondos e macios para retirarem o excesso de óleo e de células mortas. Eles podem ser encontrados em farmácias e lojas de cosméticos.

O tipo químico é composto por ácidos, portanto, deve ser aplicado única e exclusivamente por um dermatologista, pois se for mal usado pode causar sérios danos à sua pele. Esse tipo de esfoliante é mais usado para suavizar as manchas da pele porque ele faz com que a pele descame, o que auxilia a penetração de outras substâncias que deixarão a pele mais macia, como um hidratante.

A esfoliação enzimática é um processo novo que usa uma substância composta por um complexo de ativos que têm extrato de kiwi, limão, mamão e abacaxi e da enzima arazime. Essa mistura proporciona a descamação gradual das células que contêm queratina, atuando progressiva e seletivamente na pele. Portanto, esse produto proporciona o rejuvenescimento cutâneo, principalmente por ser um ótimo adstringente, dermoprotetor e anti-radical livre.

Por isso, a pele torna-se mais clara e uniforme caso o produto seja usado continuamente. Nas farmácias e lojas de cosméticos já é possível encontrar esse produto. Diferentemente da esfoliação física, na qual é preciso esfregar o produto na pele, na enzimática, que é composta por minúsculos grânulos, basta aplicar uma fina camada do produto na cútis e deixá-lo secar para que ele se transforme em uma máscara. Então, é só retirar essa película cuidadosamente que o tratamento está feito.

Os esfoliantes caseiros seguem diversas receitas, mas a maioria deles leva açúcar ou sal misturado com mel. Nunca use as receitas que têm limão em sua composição, pois essa fruta pode manchar a sua pele. Aplique a mistura com muita suavidade para que ela não cause rasuras na parte afetada. Em alguns casos, é melhor comprar produtos industrializados, pois eles foram especialmente confeccionados para não machucar.

A esfoliação deve ser feita, de preferência, à noite, porque é durante esse período que os tecidos se renovam. Ela deve ser aplicada no máximo, a cada 15 dias, pois a esfoliação em excesso pode fazer com que a pele entenda que precisa produzir mais óleo, promovendo o aparecimento de acnes.

Esses são os tipos de esfoliação encontrados no mercado. Porém, como foi dito no início do artigo, sempre é melhor procurar um dermatologista para que ele indique o melhor para o seu tipo de pele e de tratamento.

 

 

 

Top