Conheça o Kashiwa Reysol, adversário do Santos na semifinal do Mundial

No caminho do Santos rumo ao tricampeonato Mundial está o Kashiwa Reysol, atual campeão japonês, adversário do Peixe na semifinal do torneio, que acontece…

Jogadores do Kashiwa comemoram classificação sobre o Monterrey. (Foto/Divulgação)

No caminho do Santos rumo ao tricampeonato Mundial está o Kashiwa Reysol, atual campeão japonês, adversário do Peixe na semifinal do torneio, que acontece na próxima quarta-feira, às 8h30 (horário de Brasília), em Toyota, no Japão.

Apesar de se tratar de uma equipe japonesa, o Peixe não deverá ter vida fácil para chegar à decisão. Isso porque justamente um trio brasileiro é o ponto de equilibro do Kashiwa, que surpreendeu ao eliminar o Monterrey, do México, pelas quartas de final do Mundial de Clubes da Fifa. Os meias Jorge Wagner e Leandro Domingues são as referências da equipe dentro de campo, que tem ainda o técnico Nelsinho Baptista como comandante fora das quatro linhas.

A força dos brazucas

Dentro de campo, praticamente todas as jogadas da equipe passam pelos pés de Jorge, pelo lado esquerdo, e Leandro, pelo meio e pela direita. No caso de Jorge Wagner, a bola parada e a experiência em atuar tanto na ala como no meio fazem do setor um dos mais fortes da equipe. Já Leandro Domingues, apesar de oscilar entre bons e maus momentos dentro de um mesmo jogo, costuma ser o diferencial técnico do time na armação.

Olho em Sakai e Tanaka

Aliada à qualidade dos brasileiros, vale a pena destacar ainda a eficiência do lateral direito Sakai. Com velocidade e bom aproveitamento nos cruzamentos, o lateral funciona como uma válvula de escape do Kashiwa. Mais à frente, Tanaka é o destaque. Com boa movimentação e dribles, o jogador é o mais perigoso da equipe japonesa, já que cai tanto pelo lado esquerdo quanto pelo lado direito. Já o centroavante Kudo não representa grande perigo. Limitado tecnicamente, o atleta é facilmente marcado.

Leia Também:  Caio Júnior é o novo técnico do Grêmio

Lentidão da defesa é o ponto fraco

A boa notícia para o time santista é o fato do Kashiwa contar com um sistema defensivo lento. Tanto os volantes quanto os zagueiros não dispõem de velocidade para realizar a cobertura nos avanços dos laterais, que sobem bastante ao ataque. Os zagueiros Kondo e Masushima chegam com frequencia atrasados aos lances, o que pode facilitar a velocidade de Neymar.

Top