Conheça as vacinas que os adultos devem tomar

Quando o assunto é vacina, logo se pensa nas crianças. Mas, não apenas elas precisam ter a carteira de vacinação em dia. Nas campanhas de vacinação infantil, os pais levam imediatamente seus filhos para vacinar. Mas quando se trata da vacinação de adultos, muitos fogem.

Não é apenas o organismo das crianças que está suscetível a doenças. Em todas as fases da vida podemos contrair infecções virais ou bacterianas. Muitas doenças são evitadas, se vacinados antes de contraí-la.

Lembrando que, essa semana tivemos o dia mundial da vacinação, separamos aqui algumas vacinas que os adultos devem tomar e para quê cada uma serve:

Para tomar as vacinas, basta ir ao posto de saúde com seus documentos.

1) Vacina dupla- tipo adulto

Protege contra difteria e tétano.

A difteria é causada por uma bactéria,  contraída pelo contato com secreções de pessoas infectadas. Ela pode afetar o sistema respiratório, causar febres e dores de cabeça e, em casos graves, pode evoluir para uma endocardite (inflamação no coração).

O tétano já foi muito comum em nosso meio. Hoje, por meio da vacina, podemos evitá-lo. A bactéria, responsável por essa doença, produz uma toxina que paralisa os músculos. O grande problema ocorre quando o diafragma, responsável pela respiração, é paralisado. Assim a pessoa para de respirar, ocorrendo morte subta. A forma, mais conhecida, de se contrair o tétano, é pisando em algum material enferrujado. A bactéria costuma ficar no chão e impregnar esses materiais. Ao lesar a pele com o objeto contaminado, o microrganismo entra e começa a se proliferar.

A primeira parte da vacina, contra difteria e tétano, é feita na infância, em três doses, com intervalos de dois meses. Depois disso, ela deve ser tomada de dez em dez anos, e muitos adultos esquecem.

2) Vacina Tríplice-viral.

 Protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

O Sarampo é causado por um vírus. No Brasil, tivemos muitos surtos dessa doença, resultando em muitas mortes. Hoje, devido a vacina, é difícil vermos um caso de sarampo. A forma de transmissão dessa doença é pelas vias aéreas superiores e é muito contagiosa. As manifestações são bem características, manchas vermelhas pelo corpo, claras e com caráter rendilhado, conjuntivite intensa, coriza, tosse e mal estar geral. É importante que os adultos sejam vacinados, para proteger as crianças com quem convivem.

Conhecida por deixar o pescoço inchado, a caxumba, também, tem transmissão por via respiratória. Essa doença, ocorre de forma mais violenta em adultos, podendo gerar complicações como meningite, encefalite, surdez e inflamações.

A rubéola tem sintomas muito parecidos com os do sarampo, mas tem algumas características diferentes, como o aumento dos gânglios do pescoço e por manchas avermelhadas escuras na pele. O grande problema, dessa doença, é quando uma gestante a contrai. Quando isso ocorre, o vírus pode levar o feto a ter a síndrome da rubéola congênita, que prejudica a formação do bebê nos três primeiros meses de gravidez. Como consequência pode ocorrer surdez, má-formação cardíaca, catarata e atraso no desenvolvimento do feto.

O adulto deve tomar a tríplice-viral, se ainda não tiver recebido as duas doses recomendadas, para a imunização completa quando era criança.

É importante que mulheres que pretendem ter filhos sejam imunizadas com a vacina, antes de engravidar, para evitar complicações com o bebê, caso entrem em contato com a doença.

3) Vacina contra a hepatite B

A Hepatite B é uma doença de fácil transmissão. É contraída pelo contato com secreções corpóreas contaminadas, por exemplo, durante o ato sexual. Muitas pessoas se infectam com o vírus e acabam nem percebendo. Outras, adoecem. O grande problema é, que esse agente infeccioso, pode causar lesões no fígado, podendo desenvolver cirrose ou mesmo tumores hepáticos que levam a morte.

A vacina é administrada, gratuitamente, em postos de saúde para pessoas até os 19 anos e indivíduos, que estejam dentro do grupo de risco, como enfermeiros, manicures, tatuadores, médicos e bombeiros.

4) Pneumo 23

 Protege contra alguns tipos de pneumonia.

Pessoas, com mais de 60 anos, tem maior risco de contrair pneumonia e isso pode ser fatal. Por isso, todos esses indivíduos devem se imunizar, contra os microrganismos causadores desse problema, tomando a vacina pneumo 23.

A pneumonia é uma doença que acarreta inflamação nos pulmões. Ela pode ser causada por vários agentes como bactérias, vírus, fungos e alérgicas. Suas manifestações mais frequentes são falta de ar, suor intenso, febre alta, tosse com catarro, dor no peito e mal estar.

A vacina pneumo 23 não é encontrada, nos postos de  saúde, fora de épocas de campanha de vacinação. Muitas vezes, é necessário procurá-la em locais como o Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais.

5) Vacina contra influenza (gripe)

Quem possui mais de 60 anos deve ficar atento à vacinação contra gripe. São essas, as pessoas, mais suscetíveis a adoecer e ter complicações graves dessa doença, tão comum.

A vacina é encontrada nos postos de saúde para os maiores de 60 anos. Os jovens a encontra em clínicas particulares.

6) Vacina contra a febre amarela

A febre amarela, quando não tratada, pode levar à morte. Ela é transmitida pela picada, de um mosquito muito conhecido, o Aedes aegypti, também transmissor da dengue. Os sintomas mais comuns são febre, dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, icterícia (pele e olhos amarelados) e hemorragias.

Todas as pessoas, que moram em locais de risco, devem se vacinar contra a febre amarela a cada dez anos. Quem for, a passeio, em regiões de risco, deve tomar a vacina dez dias antes da viagem.

No Brasil, as áreas de risco são: zonas rurais no Norte e no Centro-Oeste do país e alguns municípios dos Estados do Maranhão, do Piauí, da Bahia, de Minas Gerais, de São Paulo, do Paraná, de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

Artigos Relacionados

Artigos Relacionados

Reply