Conheça as principais viroses infantis

No passado, como não se dominava o conhecimento necessário e também não havia a influência da tecnologia, muitas doenças recebiam a classificação de viroses. Qualquer mal estar, febre, ou diarréia que as crianças tinham, era caracterizado como virose. Hoje em dia, a medicina conta com recursos e tecnologia para fazerem diagnósticos mais rápidos e precisos, pois a maioria dos vírus são diferentes, o atributo que possuem em comum, é a de precisar de uma célula como abrigo para se reproduzirem.

Normalmente quando as crianças começam a conviver em berçário e em escola, elas ficam mais abertas à contração de vírus e infecções. Em alguns casos, existem vacinas que combatem as doenças, como é o caso do sarampo, gripe, rubéola, caxumba e poliomielite. No entanto, para outras não existem.

É importante ressaltar que a virose não é um termo técnico em medicina, isto é, muitas vezes quando o médico diz que a criança está com uma virose, está pode ser tanto um resfriado como uma diarréia, pois, existem vírus que se instalam tanto no canal respiratório como existem aqueles que se instalam no canal intestinal, causando sintomas diferentes.

A dúvida de muitos é reconhecer quando a criança contraiu a virose. Quando o bebê for muito novo, o primeiro sinal é quando a criança começa a mamar menos e ficar menos esperta. Já as mais velhas ficam mais choronas. Sinais como: febre, tosse e coriza também são sinais que também caracterizam as viroses, e devem ser levados em conta.

A contração de virose é muito individual. Há crianças que pegam menos infecções e outras que pegam mais. No entanto, quanto mais expostas forem a fatores de risco, maior a expectativa de serem infectadas. Isso será ainda mais perigoso, quando houver muitas crianças doentes juntas em um local pouco arejado e com higiene precária.

Para prevenir o contágio lavar as mãos é essencial. Poucos possuem o hábito de limpar o nariz e lavar as mãosem seguida. Osvírus continuam a viver por semanas em nossas roupas, nos locais mais visitados pelas pessoas e nos objetos.

Muitas pessoas acham que a transmissão do vírus se da pelo contato com a pessoa infectada ou pelo inalação das substancias expelidas pela tosse, no entanto, é importante ressaltar que as mãos e os objetos contaminados pelos vírus são importantes instrumentos para transmitir a virose.

Antes de matricular o filho em berçários, é importante verificar as condições de higiene, se há locais para lavar as mãos, se o ambiente é amplo e arejado, sem carpetes, cortinas e outros objetos que favorecem o acumulo de pó e casos de alergias. Como sabemos a alergia anda unida com a infecção respiratória o que gera um aumento da secreção.

Além disso é indispensável verificar se o ambiente que a criança vai ficar a maior parte do tempo terá janelas, o número de funcionários, o qual é importantíssimo, já que na insuficiência de pessoas contratadas as chances de higienização diminuirão, aumentando o risco de infecções.

Reply