Conheça a tabela de calorias dos alimentos

Conheça a tabela de calorias dos alimentose a importância de sempre dar uma olhadinha nela antes de consumir algum alimento. No Brasil é a…

Por Redacao em 12/09/2014

Conheça a tabela de calorias dos alimentose a importância de sempre dar uma olhadinha nela antes de consumir algum alimento. No Brasil é a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que controla os rótulos dos alimentos. No Brasil todo produto precisa apresentar as informações nutricionais como valor energético, porção, medida caseira e quantidade por porção de carboidratos, proteínas, gorduras, fibras e sódio do alimento.

Conheça a tabela de calorias dos alimentos - É importante compreender a tabela nutricional dos alimentos que consumimos (Foto: Divulgação)

Conheça a tabela de calorias dos alimentos

Mesmo que você leia atentamente a tabela de informação dos alimentos, é bastante possível que você tenha dúvida sobre outros termos usados para se referir a quantidade, medida, porcentagem e etc. Conheça a tabela de calorias dos alimentos:

Porção: É a quantidade média do alimento que deve ser consumida, considerando uma dieta saudável e baseada no  para consumo daquele alimento. Essas  quantidades estipuladas foram definidas por especialistas, levando em consideração o hábito do brasileiro e alimentação saudável. Geralmente, aparece em gramas ou mililitros. Exemplo: um pacote com 90g de salgadinho pode conter uma tabela nutricional baseada em uma porção de 30 g. Para saber o quanto ingeriu, neste caso, será preciso multiplicar os valores do rótulo por 3.

% VD : A sigla significa percentual de valores diários e uma média de consumo calórico para a população brasileira adulta saudável, que é de 2000 kcal. Essa média foi utilizada como referência para os valores diários.  Atenção: se encontrar uma sopa desidratada com 90% do VD de sódio, por exemplo, é sinal de que só esse produto já fornece quase o total da quantidade recomendada desse nutriente para um dia.

Saiba qual a necessidade ideal diária de cada macronutriente (Foto: Divulgação)

Medida caseira: Como a maioria das pessoas não tem balança em casa – seria difícil entender a tabela se os valores fossem baseados apenas no peso dos alimentos – ela mostra qual é a forma de medida normalmente utilizada pelo consumidor para calcular a quantidade daquele alimento.

Valor energético: É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais  presentes em uma determinada porção de alimento. Nos rótulos,  o valor energético é expresso na forma de quilocalorias (kcal) e quilojoules (kJ). Necessidades diárias: 2.000 calorias (média para um adulto saudável

Como ler a tabela de informação dos alimentos

Além das informações de medida, valor energético, porção e % VD, temos os macronutrientes: carboidratos, proteinas e gorduras. São eles que determinam o valor energético do alimento.  Conheça a tabela de caloria dos alimentos abaixo:

Carboidratos: Os carboidratos atuam como fontes de energia para o corpo. A parcela não utilizada pelo organismo é estocada na forma de gordura. Por isso, é preciso consumir a quantidade adequada desse nutriente (daí a importância de ficar de olho no %VD dos alimentos). Fazem parte desse grupo os pães, massas, farinhas, frutas, etc. Necessidades diárias: 300g

Proteínas: As proteínas são importantes na construção e reconstrução de nossas células e tecidos. Podem também desempenhar função hormonal e de defesa. As proteínas podem ainda desempenhar papel energético, mas essa nao é sua principal função. Elas estão presentes no leite e derivados, ovos, carnes, entre outros. Necessidades diárias: 75g

Gorduras saturadas: São aquelas encontradas essencialmente em produtos de origem animal, como carnes, queijos, pele de frango, leite integral, requeijão e manteiga, entre outros. A ingestão excessiva desse tipo de gordura aumenta o risco de doenças cardiovasculares. Por isso, não é recomendado extrapolar nos alimentos com alto %VD. Necessidades diárias: 22g

Gorduras trans: Também chamadas de ácidos graxos trans, elas estão presentes principalmente em produtos industrializados, que levam gorduras vegetais hidrogenadas na preparação – salgadinhos, bolachas, sorvetes e margarinas são bons exemplos. Nosso corpo não precisa desse tipo de gordura e quando consumido em grandes quantidades pode aumentar o risco de doenças do coração. A Anvisa recomenda que não se consumam mais de 2 gramas desse componente em dia. A legislação  só exige que sejam registrados valores acima de 0,2 g por porção de gordura trans no alimento, ou seja, qualquer valor abaixo disso pode ser declarado como zero.

Entenda quais os benefícios de cada macronutriente (Foto: Divulgação)

Gorduras totais: São excelentes fontes de energia e ainda ajudam na absorção das vitaminas A, D, E e K. Esse valor apresentado na tabela nos mostra o somatório de todos os tipos de gorduras encontradas no alimento, boas e ruins.  É um item importantíssimo a ser observado para quem visa saúde e boa forma. Necessidades diárias: 55g

Fibra Alimentar: São compostos essenciais para o bom funcionamento do organismo. Entre seus benefícios estão o controle das taxas de glicemia e colesterol, a manutenção das funções intestinais e o aumento do efeito de saciedade. As fibras são facilmente encontradas em frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. Necessidades diárias: 25g

Sódio: Presente no sal de cozinha e em grande quantidade nos alimentos industrializados — salgadinhos de pacote, molhos prontos, embutidos. Quando utilizado em excesso, é bastante prejudicial ao nosso corpo, provocando retenção de líquidos e aumento da pressão arterial. Necessidades diárias: 2.400mg

Top