Conheça a cirurgia plástica reparadora

O papel da cirurgia plástica reparadora é, como o seu próprio nome diz, o de reparar o que está defeituoso. Portanto, pessoas que sofreram…

Por Editorial MDT em 22/11/2011

O papel da cirurgia plástica reparadora é, como o seu próprio nome diz, o de reparar o que está defeituoso. Portanto, pessoas que sofreram queimaduras desfigurantes, tiveram alguma doença como o câncer, nasceram com problemas estéticos, ou seja, sem orelhas ou com lábio leporino, passaram por um acidente grave ou por uma cirurgia que deixou sequelas, podem recorrer à esse tipo de cirurgia. Essas pessoas precisam passar por uma cirurgia plástica reparadora para se sentirem melhor consigo mesmas e com a sociedade, pois elas se sentem rejeitadas e isoladas por causa da sua estética.

Um dos procedimentos utilizados nesse tipo de cirurgia é a expansão da pele para os casos em que é necessário ganhar pele local para cobrir a perda de pele, um defeito com perda de substância ou para avançar a pele saudável para cobrir uma cicatriz. Nesses casos, são necessárias duas cirurgias, uma para que o expansor seja colocado sob a pele sadia, próximo ao tecido a ser retirado ou ao defeito a ser coberto e outra, que é realizada após três meses da primeira, é feita para a retirada do expansor e para o avanço da pele sobre a cicatriz ou o defeito a serem encobertos.

Entretanto, às vezes, é preciso fazer um enxerto de pele quanto não há pele saudável nas proximidades das cicatrizes causadas por graves acidentes que geralmente envolvem o fogo. Para tanto, um pedaço de pele é retirado do abdômen, da região inguinal, da virilha ou de trás das orelhas para ser implantado no local que precisa desse tecido. Esse é o caso do enxerto de pele com espessura total, que pode ser realizado somente quando o local a ser coberto é pequeno, pois a sua contratura é menor no pós-operatório. Porém, se o local que necessita de pele nova for maior, a cirurgia indicada é o enxerto de pele com espessura parcial, que enxerta um pedaço de pele no local afetado e o expande para que ele possa cobri-lo inteiro.

Para os tumores de pele causados pelo câncer de pele ou por tumores benignos, a cirurgia plástica reparadora é muito utilizada, pois com ela, pode-se retirar os tumores da pele. Os tumores benignos podem ser cauterizados com um aparelho chamado Hyfrecator. No caso dos malignos, é possível a retirada dos tumores com uma margem de segurança porque eles não podem ser removidos em sua totalidade.

A cirurgia plástica reparadora é feita nas pessoas que têm problemas consigo mesmas e com a sociedade porque não se sentem bem com a sua aparência, que foi desfigurada por causa de um acidente, doença ou problema na formação. Desse modo, os pacientes passam a viver melhor, pois podem se mostrar sem receio ao mundo em que vivem.

Top