Compras pela internet: cuidados

Em plena era digital, comprar pela internet pode dar uma verdadeira dor de cabeça. No Brasil, mais de 30 milhões de usuários compram pela…

Por Élida Santos em 30/11/2012

Em plena era digital, comprar pela internet pode dar uma verdadeira dor de cabeça. No Brasil, mais de 30 milhões de usuários compram pela web. A praticidade de adquirir um item sem ter a necessidade de sair de casa chama a atenção e faz muitos consumidores agir por impulso, uma vez que,  além de adquirirem itens que não precisam, ficam endividados (em muitos casos), alguns ainda são vítimas de golpes de verdadeiras quadrilhas.

Leia mais sobre: Sites para compra de produtos importados

 

Compre parcelado sempre em casos de compras online (Foto: Divulgação)

Dicas para não ser vítima de golpes em sites de compras pela internet

Para não ser vítima de golpes de sites de compras online é necessário tomar alguns cuidados. Siga abaixo as discas simples para sua aquisição via web ser mais segura.

– Busque recomendações de usuários em redes sociais e sites de registro de reclamações;

– Veja se na loja online tem contato telefônico e CNPJ e confirme se os dados conferem;

– Compre um produto de menos valor para testar o site antes de gastar muito dinheiro com ele;

– Opte pelas compras parceladas e procure comprar em um período que o cartão de crédito seja pago somente após a chegada do produto, para cancelar a compra se necessário,

– Desconfie de preços muito abaixo do mercado.

Essas são dicas simples, mas que fazem toda diferença na hora de finalizar sua compra por meio da internet.

Confira também: Cuidados na hora de comprar brinquedos de Natal

 

Cuidado com o site escolhido para comprar online (Foto: Divulgação)

Procon lista sites inseguros para se comprar

A Fundação Procon-SP, na tentativa de ajudar os consumidores que compram pela web, divulgou na última quarta-feira, 28 de novembro, uma lista com mais de 200 sites que devem ser evitadas compras. As páginas não são recomendadas porque o órgão recebeu reclamações por irregularidades na prática de comércio eletrônico.

A relação está disponível no site da Fundação Procon (clique aqui para acessar), com links em ordem alfabética, razão social da companhia e número do CNPJ ou CPF. Os portais eletrônicos ainda foram classificados pelo órgão de defesa do consumidor com as condições “fora do ar” ou “no ar”.

Top