Como Vencer a Mania de Perseguição

Você vê pessoas conversando e acha que estão falando a seu respeito? Vê pessoas rindo e acham que é o alvo do escárnio? Sempre…

Você vê pessoas conversando e acha que estão falando a seu respeito? Vê pessoas rindo e acham que é o alvo do escárnio? Sempre que alguém está próximo crê que está reparando em você e reprovando algo? Sente-se cobrado demais ou perseguido?

Não, isso não é brincadeira. A verdade é que esse é um panorama bem comum e vivenciado por muitas pessoas todos os dias, tornando atos cotidianos um grande problema sem solução.

Agora pare e pense. Reflita: em quem está o problema? Já pensou que tudo pode ser fruto da sua imaginação?

Olhar para nós mesmos:

Relaxe um pouco. Refletir sobre nós mesmos e sobre nossas próprias atitudes pode ser uma tarefa difícil porém necessária. A verdade é que todos os problemas e todas as soluções nesse caso podem surgir de uma única fonte e é preciso levar isso em consideração.

Qual é a sua atitude em relação a si mesmo? Você é muito cobrado? Você se cobra muito? Está acumulando muitos sentimentos que não desabafa? Engole muitos sapos, ouve muitos desaforos? Sente coisas do qual não se sente confortável em falar? Como se relaciona com as pessoas? Você gosta de si mesmo?

Sim, são muitas perguntas e todas merecem respostas. Uma tentativa de fuga a mais pode apenas agravar o problema.

Talvez você seja uma pessoa tímida demais, para não dizer travada. Talvez também esteja acumulando tantos sentimentos que não pode dar conta de processá-los e saber do seu real significado. Pode ser um perfeccionista que não admite erros, pode querer agradar a todos com uma ânsia tão grande e ser reconhecido por isso que mal mede os seus atos e receia um fracasso como se este fosse o seu maior medo. Receia tanto que chega a ser capaz de sentir o peso dos olhos alheios sobre seus ombros em uma forma de cobrança desumana.

Continuar Lendo  Porto Seguro Consórcio

Pessoas que querem agradar a todo custo se envolvem em um ciclo vicioso, erguendo barreiras de defesa que ao invés de serem eficientes como proteção só fazem machucar ainda mais, colocando-se em posição de alerta permanente assumindo responsabilidades cada vez maiores. A autoestima que se busca realçar na busca constante por um elogio mas que não se satisfaz devido a expectativas cada vez maiores e praticamente irrealizáveis.

O que te leva a isso? Não seria você mesmo?

Você como o seu principal inimigo

Já pensou que você mesmo possa estar se colocando nesse ciclo vicioso de paranoia? Tudo bem, de forma inconsciente, mas isso não diminui as próprias responsabilidades sobre sua conduta. Talvez seu algoz seja familiar demais para não ser reconhecido e forte demais porque é você quem o alimenta.

Por acaso é capaz de pensar em si mesmo e em sua própria autoestima? Sabia que viver nessa batalha constante contra tudo e todos pode tornar a vida um fardo pesado demais?

Tente enxergar o que está a seu redor com outros olhos, tente relaxar. Seus fantasmas podem ser infundados e até desaparecer. Tente ver a si mesmo de outra maneira porque nem sempre são os outros os culpados. Ver as coisas de outra perspectiva pode fazer com que tudo mude em um simples segundo.

Caso isso não seja possível não tenha vergonha de procurar ajuda. Isso pode ser uma doença e que precisa de atenção e tratamento pois atinge a você e as pessoas que te cercam e lhe tem afeto.

PS: Vale lembrar que esse texto não trata de manias de perseguição patológicas que podem ser indícios de distúrbios psíquicos, mas sim de algo que pode ser percebido pela próprio indivíduo e fruto de experiências sociais.

Continuar Lendo  Site Diário de SP, www.diariodesp.com.br

Top