Como tratar leishmaniose

A leishmaniose é uma doença causada por um protozoário do gênero Leishmania, transmitido através da picada de mosquitos flebotomíneos, conhecidos popularmente como mosquito-palha ou…

A leishmaniose é uma doença causada por um protozoário do gênero Leishmania, transmitido através da picada de mosquitos flebotomíneos, conhecidos popularmente como mosquito-palha ou birigui. Essa doença é capaz de cursar com diferentes manifestações, podendo afetar desde a pele até órgãos internos. Fique por dentro do assunto e saiba como tratar leishmaniose.

A leishmaniose é transmitida pelo mosquito palha. (Foto: divulgação)

Manifestações clínicas

As manifestações clínicas variam conforme o tipo de leishmaniose, que pode ser:

  • Leishmaniose cutânea

A leishmaniose cutânea é a forma de afecção mais comum e cura com a presença de uma ou mais lesões na pele, que podem variar de tamanho e forma, conforme o tempo de infecção. Normalmente, na fase final de evolução, se apresentam como úlcera, ou seja, uma lesão circunscrita, bem delimitada e profunda, cercada por uma borda elevada, que lhe confere a aparência de um vulcão. Algumas lesões são cobertas por uma crosta e podem se apresentar dolorosas ou não.

A lesão característica do acometimento cutâneo é uma úlcera que demora para cicatrizar. (Foto: divulgação)

  • Leishmaniose visceral

A leishmaniose visceral costuma causar febre e outros sintomas sistêmicos, como perda de peso importante, aumento do volume abdominal e alterações nos exames de sangue, como diminuição no número de plaquetas, anemia e redução das células de defesa.

Tratamento de leishmaniose

Toda pessoa com suspeita de leishmaniose, especialmente aquelas que visitaram áreas endêmicas, devem procurar um médico para que seja feito os exames necessários para confirmar ou excluir o diagnóstico e assim instituir o tratamento o mais rápido possível.

Normalmente as feridas resultantes da leishmaniose cutânea saram espontaneamente, mesmo sem tratamento específico. Entretanto, todo o processo de recuperação da pele pode demorar meses e, em alguns casos, até anos, além de deixar cicatrizes. Outra preocupação é o acometimento das mucosas, como a do nariz e da boca, que pode aparecer após anos das lesões iniciais da pele. Casos de leishmaniose visceral grave podem causar morte.

Leia Também:  Vacinas necessárias para viajar

Todas as formas de leishmaniose devem ser tratadas, para diminuir o tempo de recuperação, as chances de recidiva e prevenir complicações, como as infecções secundárias que pioram o aspecto cicatricial. A droga de escolha são os antimoniais pentavalentes, como a n-metil glucamina, cuja dose deve ser individualizada.

A droga de escolha para o tratamento são os antimoniais pentavalentes. (Foto: divulgação)

A leishmaniose é uma doença transmitida de cachorros para o ser humano através do mosquito palha, e cursa com diferentes manifestações clínicas e, apesar de quase sempre ter uma evolução autolimitada, necessita de tratamento para prevenir complicações e acelerar o processo de cura. Ela é

Top