Como preparar o cachorro para uma cirurgia

Diferentes motivos podem fazer o cachorro necessitar de uma cirurgia. O procedimento, simples ou complexo, tem como objetivo evitar complicações de saúde e prolongar…

Por Isabella Moretti em 16/09/2013

Diferentes motivos podem fazer o cachorro necessitar de uma cirurgia. O procedimento, simples ou complexo, tem como objetivo evitar complicações de saúde e prolongar a vida do animal de estimação.

O cachorro precisa estar em jejum para fazer uma cirurgia. (Foto:Divulgação)

O preparo do cão para a cirurgia

A cirurgia do pet não pode acontecer de uma hora para a outra. O proprietário precisa ter o cuidado de escolher um bom veterinário e uma clínica com infraestrutura moderna para lidar com qualquer imprevisto.

Antes de se submeter a uma cirurgia, o cachorro precisa passar por uma avaliação pré-cirúrgica para verificar se está tudo certo com o seu organismo. O processo inclui exames que chegam à existência de problemas de saúde, como infecção, anemia, coagulação inadequada e baixo açúcar no sangue.

O pet precisa fazer jejum no dia da cirurgia, ou seja, deve estar de estômago vazio. O veterinário provavelmente vai pedir para que o dono remova a água e a comida na noite anterior ao procedimento. Esta preocupação reduz o risco de vômito durante a cirurgia.

Antes da cirurgia, o cão recebe uma anestesia geral. A substância aplicada manterá o pet dormindo e sem sentir dores durante o procedimento. Ao longo da operação, um pequeno tubo é inserido para auxiliar a respiração. O animal também costuma ser monitorado através de equipamentos, sobretudo o seu ritmo cardíaco.

O pós-operatório

Após a cirurgia, o animal deve usar um colar Elizabethano. (Foto:Divulgação)

Até mesmo a cirurgia mais simples pode sofrer com complicações se os cuidados durante o pós-operatório não forem respeitados. O veterinário normalmente elabora uma lista de instruções para cuidar do animal neste período.

Nos dias após a cirurgia, é recomendado servir pequenas porções de água e comida ao pet. Se a incisão apresentar inchaço, sangramento ou algum machucado, o veterinário deve ser comunicado imediatamente.

No pós-operatório é importante tomar todas as medidas necessárias para que o cão não lamba ou morda o local da incisão. Caso contrário, a região dos pontos pode se transformar em uma séria infecção. Para evitar lambidas e mordidas, o animal usa o colar Elizabethano (cone de plástico) por alguns dias.

É essencial seguir as orientações do veterinário e dar os remédios corretamente. (Foto:Divulgação)

O cachorro deve ser medicado de acordo com as orientações médicas. Em casos de vômitos ou reações adversas, o veterinário deve ser consultado para avaliar o caso.

As atividades do animal precisam ser controladas até os 10 dias após a cirurgia. Pular, correr ou usar as escadas podem causar dor, sangramento e comprometer o resultado do procedimento cirúrgico.

Top