Como o estresse da grávida afeta o feto

A gestação é um período de muitas transformações no corpo da mulher, necessitando de atenção especial. Isso porque, qualquer alteração, pode trazer consequências tanto…

Por Editorial MDT em 11/03/2013

A gestação é um período de muitas transformações no corpo da mulher, necessitando de atenção especial. Isso porque, qualquer alteração, pode trazer consequências tanto a vida da gestante, quanto ao bebê que está sendo gerado. Estudos recentes comprovaram que, até mesmo o estresse, pode trazer consequências à vida do feto. Saiba mais sobre o assunto, nas linhas seguintes.

Saiba como lidar com o estresse na gravidez. 

A realização do pré-natal é imprescindível para uma gestação sadia. (Foto: divulgação)

Estresse x ferro materno

Como foi anteriormente mencionado, o estresse em gestante pode afetar o desenvolvimento do bebê, em especial, durante os primeiros meses de vida. Pesquisas mostraram que os filhos de mães que se estressam no primeiro trimestre da gestação, apresentam um menor nível de ferro no sangue, afetando o crescimento intra-útero.

Conheça a importância do ferro para  bebê

O ferro é extremamente importante para o desenvolvimento de vários órgãos do bebê, por exemplo, o cérebro. Entre as causas relacionadas a quedas da quantidade de ferro no sangue dos bebês, podemos citar o diabetes gestacional, o tabagismo durante a gravidez e o nascimento prematuro.

O estresse materno e o desenvolvimento do bebê

Estudos israelitas demonstraram que o estresse é um fator de risco para a alteração de crescimento intraútero, entre as gestantes. Assim, a depender do grau de estresse apresentado pela mulher grávida, pode ocasionar a alteração do desenvolvimento do feto. Essa pesquisa foi realizada em gestantes que viviam próximas às fronteiras com a Faixa de Gaza.

Estudos comprovaram que o estresse pode afetar o desenvolvimento do bebê. (Foto: divulgação)

Saiba mais sobre o estudo realizado

Durante a realização do estudo, os médicos excluíram todas as outras causas de diminuição de ferro durante a gestação e que poderiam dar resultados incoerentes. Dessa forma, eles avaliaram apenas mulheres grávidas que apresentavam como fator de risco principal, o estresse diário. Ao fim do estudo, os pesquisadores comprovaram que o número de bebês com desenvolvimento anormal, ou seja, crescimento restrito foi maior entre as gestantes submetidas ao estresse.

Seguindo as orientações dos especialistas

Após conhecer as consequências que o estresse diário pode causar à vida do bebê gerado, é muito importante que as gestantes controlem o nível de irritabilidade, durante esse período. No entanto, caso isso não seja possível, é importante que ela realize um pré-natal adequado, no qual será monitorizado a saúde da criança através de exames de sangue, como forma de avaliar a deficiência de ferro e intervir o quanto antes no problema.

A realização do pré-natal é muito importante para uma gestação sadia. (Foto: divulgação)

A realização de um pré-natal adequado é imprescindível para uma gestação saudável e livre de qualquer complicação. Através dele, o médico avaliará as necessidades tanto da futura mãe, quanto do bebê gerado, conseguindo interferir no problema, o quanto antes, o que evita qualquer consequência futura.

Saiba como o carinho de mãe pode diminuir o estresse do bebê.

Top