Como Não Sentir Saudade

Ah, Saudade… tema de milhões de frases de pensadores, versos de canções e recadinhos brilhosos e ofuscantes do Orkut. Palavrinha muito usada porém difícil…

Por Editorial MDT em 01/05/2011

Ah, Saudade… tema de milhões de frases de pensadores, versos de canções e recadinhos brilhosos e ofuscantes do Orkut. Palavrinha muito usada porém difícil de definí-la friamente.

Tradutores consideram tal palavra como sendo uma das mais difíceis do mundo de traduzir. Costuma ser definida como “sentimento nostálgico, sentir falta de alguma coisa ou alguém”, mas é algo tão enraizado a sentimentos que muitas vezes seu significado é complexo demais para explicações tão simples. Está atrelado a sentimentos, e nem todos o entendem ou percebem da mesma forma.

Como não sentir saudades? Puxa, pergunta difícil. Embora pareça difícil imaginar, nem todos sentem saudade ao pé da letra, mas para quem a sente, creio que não exista solução. Seria mesmo muito bom que houvesse um remédio ou fórmula mágica para isso, mas como ainda não inventaram nada do gênero, o jeito é se contentar com as possibilidades que temos ao nosso redor. Ou seja, dependerá de nós mesmos. De nossa postura e nossas próprias decisões.

Assustador, não? Pode ser. Na verdade depende muito do nosso objeto de saudade ou das circunstâncias que provocaram tal sentimento, daquilo que separa o passado do presente. Existe aquela saudade temporária, de quem simplesmente está esperando alguém importante chegar ou voltar de viagem mesmo que o tempo da distância seja breve. Também existe a saudade por tempos que não voltarão ou por pessoas que não estão mais por perto. Há muitos que associam saudade à solidão e muitos outros que afirmam como sendo saudade apenas a simples nostalgia. Como você pode notar, tudo depende de muitos pontos de vista e diferentes intensidades.

Diante disso, talvez não exista um método para não sentí-la, embora, em contrapartida possa haver formas de abrandar essa sensação, especialmente quando talvez seja algo que vá lhe acompanhar por toda a vida. É importante saber que, caso ela seja inevitável, a saudade não deve ser sua inimiga, mas sim uma aliada.

Saudade não justifica um período eterno de depressão, fossa ou luto. Seja lá quais forem as circunstâncias é muito importante que a pessoa reaja e se dê conta de que o passado não volta. É preciso continuar a vida, mesmo que alguém que tenha amado tenha ficado para trás em alguma parte do caminho. Muitas vezes você pode crer que se trata de insensibilidade, mas a questão é de sobrevivência.

A saudade é um sentimento que deve ser sereno, suave. Deve tranquilizar, trazer conforto e não angústia. Ela não tem que ser um martírio e nem mesmo provocar culpas. Ela não deve ser uma justificativa para se apegar a um passado que não vai mais acontecer, mesmo porque a longo prazo isso tornaria a vida impossível de ser desfrutada plenamente.

Quando se está no começo de certas etapas da vida, como os primeiros dias após perder alguém querido, ou quando um relacionamento termina, você pode pensar que é um sentimento enlouquecedor, mas são só os primeiros tempos, afinal a lembrança poderá vir acompanhada de dor e sofrimento. Porém, com o passar dos dias, meses e anos ficam as coisas boas, as lembranças quentinhas, mas que não deve impedir ninguém de seguir adiante.

A saudade boa é aquela que nos despertam um sorriso enquanto caminhamos. É com essa que devemos conviver.

Top