Como investir em barras de ouro

Se você está em busca de um investimento rentável em 2013, saiba que o ouro é uma boa opção para você aplicar o seu…

Por Paulo Lima em 05/01/2013

Se você está em busca de um investimento rentável em 2013, saiba que o ouro é uma boa opção para você aplicar o seu dinheiro. O mercado oferece duas possibilidades para quem deseja fazer este tipo de aplicação, que são o investimento em barras e em títulos, cada uma com suas próximas particularidades no que se refere ao modo de compra de operar o bem.

Como investir em ouro em barras

O ouro é uma boa opção para quem busca um investimento mais rentável em 2013. (Foto: Divulgação).

A compra do ouro em barras pode ser feita junto às instituições financeiras que comercializam o metal no Brasil. Para efetuá-la, basta apresentar alguns documentos, como CPF, RG, comprovante de residência e comprovante de renda em caso de compras acima de R$10.000,00.

Geralmente, as barras podem ser retiradas do local logo após a compra, exceto nas aquisições feitas acima de R$10 mil. O comprador é quem decide onde guardar o metal – em casa ou sob custódia de instituições financeiras autorizadas, como Banco do Brasil, Banco Safra, Casa da Moeda, Santander e Citibank. Lembrando que neste caso ele precisa pagar uma taxa de custódia à empresa.

Confira algumas dicas para investir em ouro.

Outros tipos de investimentos

Algumas corretoras também oferecem contratos e barras com quantidades mais reduzidas, investimento ideal para quem não tem muito dinheiro. (Foto: Divulgação).

Já no caso dos investimentos em títulos, a compra é feita através de corretores de valores que operam o metal. Neste tipo de aplicação, o interessado pode optar pelos chamados contratos cheios, com 250 gramas, ou pelos contratos fracionários, que vão de 0,225 a 10 gramas.

Outra possibilidade são os contratos derivativos, disponíveis nas modalidades futuro, termo e opção de compra e venda. Eles permitem ao investidor negociar o ouro com a corretora, sem a necessidade de intermediários. A desvantagem é que nesse tipo de investimento o comprador precisa efetuar o pagamento da taxa de corretagem.

Veja também: Como aplicar bem o seu dinheiro.

A dica em tempos de crise é encarar o ouro como um investimento de proteção e de longo prazo. (Foto: Divulgação).

Para investir em ouro, é preciso conhecer o mercado. Lembre-se de que o metal é um tipo de aplicação cujo preço varia diariamente e em âmbito mundial. O ideal é encará-lo como um investimento de proteção e de longo prazo, ainda mais em momentos de turbulência econômica como os de hoje.

Durante muito tempo, o Brasil teve um volume expressivo de negócios com ouro, chegando a negociar dez toneladas por dia durante o governo Collor. Atualmente, a realidade é outra e, segundo dados da BM7F Bovespa, são negociados cerca de R$500 mil em contratos de barras de 250g diariamente.

É importante destacar que o ouro também é um investimento para quem tempo pouco dinheiro. Se este é o seu caso, procure corretoras que façam a venda de pequenas quantidades. O importante é se informar e ver qual a melhor alternativa para o seu bolso.

Top