Como funcionam o Omeprazol e o ácido acetilsalicílico

Como funcionam o Omeprazol e o ácido acetilsalicílico

Leia a matéria a seguir e saiba como funcionam o Omeprazol e o ácido acetilsalicílico, dois dos remédios mais populares em todo o Brasil,…

Por Andre em 27/03/2015

Leia a matéria a seguir e saiba como funcionam o Omeprazol e o ácido acetilsalicílico, dois dos remédios mais populares em todo o Brasil, que sempre são utilizados na hora de tratar determinadas enfermidades.

Como funcionam o Omeprazol e o ácido acetilsalicílico (Foto Ilustrativa)

Quem sofre com gastrite e costuma ter outros problemas relacionados ao estômago certamente conhece muito bem o Omeprazol, um dos medicamentos para tratar doenças digestivas mais vendidos do país.

Já o Ácido Acetilsalicílico, também conhecido pela sigla “AAS”, é um remédio ainda mais popular, pois pode ser utilizado em diversas situações, fazendo com que a sua presença seja sempre constante nos armários de boa parte das residências brasileiras.

Remédios genéricos: verdades, mitos, dúvidas

Como funcionam o Omeprazol e o ácido acetilsalicílico

Esses dois medicamentos estão entre os mais populares do Brasil (Foto Ilustrativa)

Indicado para tratar determinadas condições em que há excesso de produção de ácido pelas células parietais do estômago, o Omeprazol atua na diminuição da quantidade desse ácido estomacal, evitando assim os sintomas associados à hiperacidez gástrica.

Ele normalmente é utilizado no tratamento de doenças como úlcera gástrica, esofagite de refluxo, úlcera duodenal e Síndrome de Zoolinger-Ellison, entre outras, após o paciente passar por avaliação médica, que irá recomendar a dose exata do remédio, que pode ser usado até por crianças.

Já no caso do ácido acetilsalicílico, o medicamento, muito conhecido pelo nome comercial de Aspirina, possui propriedades analgésicas, anti-inflamatórias e antipiréticas. Ele atua na inibição das enzimas ciclooxigenases 1 e 2, responsáveis pela geração da inflamação, ajudando a reduzir o processo de inflamação tecidual.

O AAS costuma ser usado tanto no tratamento de tipos de dores menos graves, como dores musculares, cólicas menstruais e dor de cabeça, quanto no tratamento de processos inflamatórios mais agudos (traumas) ou crônicos (como artrite reumatoide, por exemplo).

Esse remédio popular pode ainda ser utilizado para tratar gripes e resfriados e também como inibidor da agregação plaquetária, contribuindo para prevenir a formação de coágulos dentro dos vasos sanguíneos, evitando algumas doenças cardiovasculares.

Forma de usar o Omeprazol

O Omeprazol, que também funciona como uma espécie de protetor gástrico para quem fará uso de remédios que trazem problemas ao estômago, normalmente é ingerido cerca de 15 minutos antes da refeição, pois assim pode proteger o estômago do excesso de ácido produzido durante a digestão.

A quantidade ingerida (10, 20, 40 mg/dia) depende do tipo de tratamento, variando conforme a doença que está sendo tratada. O mesmo pode se dizer do tempo de uso do Omeprazol. Por esses motivos, é fundamental ter o acompanhamento médico.

Mitos e verdades da sibutramina

Contraindicações e efeitos colaterais do Omeprazol

O Omeprazol é usado para tratar alguns problemas do estômago (Foto Ilustrativa)

O medicamento é contraindicado para todas as pessoas que apresentem sensibilidade ao princípio ativo do Omeprazol. Grávidas e lactantes também devem evitá-lo, a não ser por recomendação médica.

Com relação aos efeitos colaterais do Omeprazol, eles podem ser cefaleia, náuseas, vômito, enjoo, diarreia, gastroenterite, fraqueza, dor muscular e reações alérgicas. No entanto, eles não são frequentes e costumam ter intensidade leve.

Outra informação importante é que o uso prolongado do Omeprazol não causa demência, desde que o tratamento tenha acompanhamento constante do médico. É que o uso excessivo do remédio pode prejudicar a absorção de nutrientes, provocando alguns problemas de saúde. Mas com o auxílio do profissional de saúde, tais deficiências podem ser contornadas.

Cuidados ao usar o Ácido Acetilsalicílico

Já o AAS tem inúmeras utilidades (Foto Ilustrativa)

Encontrar o AAS para comprar é muito fácil, já que ele é vendido sem prescrição médica e bastante utilizado para curar febre, dor nas costas, dor de garganta, etc. Mas você deve ter alguns cuidados na hora de tomar Aspirina, evitando os excessos.

Além disso, algumas pessoas podem ter alergia ao produto, e a sua utilização, nesse caso, pode gerar problemas. Por isso, não deixe de consultar o médico antes de ingerir o ácido acetilsalicílico.

Contraindicações e efeitos colaterais do Ácido Acetilsalicílico

O ácido acetilsalicílico pode ser usado, por exemplo, para tratar dor de garganta, dores musculares e cólicas menstruais (Foto Ilustrativa)

Pessoas que sofrem com doenças no estômago, rins ou fígado, assim como pacientes que apresentam hemofilia e que estejam utilizando anticoagulantes de qualquer natureza não devem usar o AAS. Quem está com suspeita de Dengue também precisa evitar a Aspirina.

Ácido Acetilsalicílico pode ajudar contra o infarto

Entre os possíveis efeitos colaterais do ácido acetilsalicílico estão o aumento do risco de sangramento, náuseas, vômito, diarreia e a maior incidência de problemas gastrintestinais (úlceras, gastrite, etc), que podem surgir com o uso excessivo do remédio.

Top