Como funciona a trava de baixa e quais as suas vantagens?

PUBLICIDADE

O mercado financeiro é constituído de centenas de oportunidades de investimento e, para obter melhores resultados, os investidores criam estratégias, sendo uma delas a trava de baixa. 

Por mais que possa acabar limitando os ganhos do investidor, essa estratégia ajuda a reduzir o risco de perda em uma determinada operação. Mas antes de trava de baixa, precisamos estudá-la para entender a forma que ela funciona, a fim de aplicá-la do jeito certo. 

Neste post, você vai conferir tudo relacionado à trava de baixa, como ela funciona e suas principais vantagens e desvantagens.

PUBLICIDADE

O que é uma trava de baixa?

A trava de baixa pode ser definida como uma operação estruturada que pode envolver uma ou duas opções. Ela entra em ação em um cenário onde o preço dos ativos estão desvalorizando. 

O que é uma trava de baixa?
Fonte/Reprodução: original.

A ideia fundamental da trava de baixa é que, ao mesmo tempo que compra uma opção, o investidor vende exatamente a mesma quantidade de outra opção que tenha o mesmo vencimento.  

Em paralelo à trava de baixa, temos também a trava de alta, que possui um conceito parecido. Mas enquanto a trava de baixa é montada tendo em vista uma queda no preço dos ativos, a trava de alta é feita com a expectativa de um aumento. 

Para que serve uma trava de baixa? 

A principal finalidade da trava de baixa é permitir que o investidor explore o mercado com uma proteção maior. Isso porque, graças à trava de baixa, é possível controlar o prejuízo máximo que uma determinada operação pode gerar. Mas como isso é possível? Vamos entender melhor como a estratégia funciona. 

PUBLICIDADE

Como funciona uma trava de baixa?

Em uma operação com trava de baixa, o investidor deve executar duas operações de forma simétrica. Ou seja, no mesmo momento que vender um determinado ativo, o investidor deve adquirir exatamente a mesma quantidade de ativos que possuam a data de vencimento em comum com a do ativo vendido.

Como funciona uma trava de baixa?
Fonte/Reprodução: original.

Para simplificar, vamos usar como exemplo a trava de baixa com call, o direito de compra de um determinado ativo em um momento futuro. 

Digamos que uma ação esteja valendo R $12,00, e o investidor acredita que esse preço sofrerá uma desvalorização.  Nesse caso, ele pode lançar no mercado uma opção de call por R $2,00 e preço de exercício de R $11,50. 

Com isso, ele também deve adquirir outra opção de call, com o mesmo vencimento da outra, sendo que elas devem ser compradas por R $1,50, com preço de exercício de R $13,00. 

Se a operação for feita com mil ações, ele terá arrecadado R $2.000 com a venda e pago R $1.500 nas compras, conseguindo um lucro inicial de R $500,00. Se no dia do vencimento, o valor da ação for inferior a R $11,50, o ganho máximo da ação será exatamente os R $500,00. 

PUBLICIDADE

Caso aconteça do valor da ação ser superior a R $13,00 na data do vencimento, será preciso pôr as duas operações em exercício, ou seja, vender mil ações por R $11,50 e adquirir as outras por R $13,00. 

Dessa forma, o investidor fica com um prejuízo de R $1.500. Porém, ainda no início da operação, o investidor tinha conseguido R $500,00 de lucro. Assim, o prejuízo máximo dessa operação é de R$1.000. 

Quais são as vantagens de usar uma trava de baixa?

A vantagem de usar a trava de baixa é que o investidor consegue ter um controle maior sobre a operação e pode se proteger da volatilidade do mercado, já que a operação possui um prejuízo máximo que não é alterado e, portanto, não pode ser afetado pela movimentação do mercado. 

A trava de baixa é a estratégia ideal para se usar em momentos em que o mercado conta com uma maior volatilidade — o que aumenta as chances de perdas do investidor

Existem algumas desvantagens de usar uma trava de baixa?

Para conseguir ter um maior controle sobre a operação e limitar suas perdas, os investidores abrem mão de ter ganhos maiores. Essa é a única desvantagem da trava de baixa: ao mesmo tempo que as perdas são limitadas, os ganhos também serão. 

Porém, se for usada no momento apropriado, a trava de baixa pode se tornar uma grande aliada do investidor, concedendo controle total sobre os ganhos e perdas da operação. 

Leia também:

Comentários fechados

Os comentários desse post foram encerrados.