Como fazer Caipirinha de Saquê com Morango

A História da caipirinha feita de limão açúcar e cachaça se confunde com a própria história da cachaça. Se avançarmos um pouco no tempo,…

Por Redacao em 30/06/2011

A História da caipirinha feita de limão açúcar e cachaça se confunde com a própria história da cachaça. Se avançarmos um pouco no tempo, por volta do século XVI, com a introdução da cultura da cana-de-açúcar no Brasil Colonial, pode-se entender melhor essa mistura. Porém, os colonos tomavam a cachaça pura e não a misturavam com outros ingredientes.

É evidente que o gelo na caipirinha só surgiu com o avanço da tecnologia, muitos séculos depois. Se avançarmos mais ainda no tempo, as expressões modernistas do início do século XX começavam a surgir contra o poderio cultural da Europa, e começaram a difundir artes e culinárias genuinamente produzidas no Brasil.

Vários escritores como Oswald de Andrade, Mário de Andrade, Monteiro Lobato, tratavam já da caipirinha em seus escritos, e conta-se que Tarsila do Amaral, na década de 20, organizava grandes feijoadas em Paris e conseguia o feijão em mercadinhos locais. Mas a cachaça para a caipirinha vinha do Brasil, rotulada como “produto de beleza” para passar pela alfândega francesa.

O assunto em questão, o coquetel Caipirinha viria a ser tratado com a devida seriedade, quando Derivan quis incluir a Caipirinha no Cardápio Oficial Internacional da IBA (International Bartenders Association). Os países que faziam parte da “International Board” dos coquetéis, agora tinham um representante brasileiro e, em junho de 1993, na Conferência de Hamburgo que tratou da inserção de mais coquetéis no então cardápio oficial de 50 coquetéis para votação na Convenção de Toronto, no Canadá em outubro do mesmo ano, surgiu à proposta para incluir a caipirinha na pauta para definição da receita oficial e assim foi feito, tornando a caipirinha parte do cardápio Oficial.

Se pensarmos no que é a coquetelaria genuinamente brasileira, vamos lembrar de dois tipos de drink a caipirinha e batidas.

A caipirinha é o drink nacional, sacramentado em lei e tudo mais. A esse fato junte a imensa e mundialmente conhecida variedade de frutas de nosso País, nossa criatividade mais o jeitinho brasileiro no qual originou a caipiroskas.

A caipirinha só pode ser assim chamada de caipirinha se for feita de cachaça, limão, açúcar e gelo, e se nela conter qualquer outra mistura de cachaça ou vodka com frutas e açúcar deixa de ser chamada de caipirinha, mas se alguém souber um nome dentro da lei para essa mistura com outros sabores de frutas sintam-se a vontade para expor sua sugestão, para as demais misturas existem nomes específicos como sakerinha, ou seja, o saquê, que alias muito bom quando misturado com morango , ou caipiríssima, com rum que é quase o velho Daiquiri.

Para os interessados em fazer caipirinha de saquê com morango, por querer variar um pouco e aproveitar as frutas deliciosas existentes no nosso País, vai precisar apenas de uma garrafa de saquê, morangos, açúcar e gelo.

Para preparar:

Coloque as frutas em um copo, adicione duas colheres de açúcar, amasse ligeiramente com um pilão, adicione duas doses de saquê, adicione gelo e mexa levemente. Depois é só servir.

Se você quiser experimentar a de Kiwi, utilizam-se os mesmo ingredientes, você deve descascar o kiwi, cortar em cubos, colocar em um copo, adicionar duas colheres de açúcar, amassar ligeiramente com um pilão, adicionar duas doses de saquê, adicionar gelo e mexer levemente.

E esta pronta.

Top