Como escolher o filtro solar ideal

Comprar um protetor solar não é uma tarefa tão simples quanto parece e muitas dúvidas podem surgir nesse momento: “Será que este é o…

Escolher o protetor correto ajuda a prevenir complicações.

Comprar um protetor solar não é uma tarefa tão simples quanto parece e muitas dúvidas podem surgir nesse momento: “Será que este é o protetor certo?”, “qual o filtro mais indicado para meu tipo de pele?”, “existe alguma substância que pode fazer mal?”. É importante deixar claro que, ao contrário do que algumas pessoas pensam, os protetores não são todos iguais e, ao invés de proteger a pele, muitas pessoas acabam colocando a saúde em risco com produtos inadequados.

Confira dicas que prometem ajudar a escolher o filtro solar e tenha certeza de que está levando para casa o melhor produto!

  • Oxibenzeno: é uma substância que penetra na pele e pode facilitar a ocorrência de reações alérgicas, provocar alterações na secreção de hormônios além de causar lesões celulares. É fundamental ler o rótulo das embalagens, na hora de escolher o protetor, e descartar aqueles que contenham esse produto. Vale ressaltar também que, devido ao fato das crianças não terem um sistema de eliminação de resíduos bem desenvolvido, filtros com oxibenzeno não devem ser usados em hipótese alguma.

As opções são muito variadas.

  • Vitamina A: é um antioxidante, que combate aos radicais livres e ajuda na prevenção do envelhecimento precoce. Mas a presença dessa vitamina pode não ser tão benéfica quanto parece, à primeira vista. Estudos indicam que quando utilizada em filtros solares, essa substância pode acelerar a velocidade de lesão e propiciar a formação de tumores. Infelizmente a indústria cosmética insiste em não retirar a vitamina A das composições da maioria dos filtros solares.
  • UVA e UVB: Existem dois tipos de raios ultravioletas (UV), os do tipo B (UVB), responsável pela produção de vitamina D na pele, e os do tipo A (UVA), que está mais relacionado ao aparecimento de problemas dermatológicos. Ambos provocam bronzeamento e queimação, apesar do UVB ser mais rápido para causar esses efeitos. O UVA, por outro lado, tem a capacidade de penetrar mais profundamente na pele, causando assim o foto envelhecimento, aparecimento de rugas, manchas e até mesmo de cânceres.
Leia Também:  Queimadura solar - causas, tratamento

Na hora de escolher o protetor, é importante ficar atendo, pois a maioria dos que estão disponíveis no mercado possuem quantidades insuficientes de proteção contra os raios UVA.

  • Produtos com alto fator de proteção solar (FPS): é essencial tomar bastante cuidado com esses protetores, pois podem passar uma falsa sensação de que o indivíduo está altamente protegido, e acabar estimulando-o a permanecer mais tempo exposto ao sol.

Os protetores solares para crianças precisam possuir algumas características diferentes.

Levar essas dicas anotadas na hora de comprar o filtro solar e não se esquecer de ler e comparar os rótulos dos produtos é uma ótima maneira de garantir um verão muito mais saudável e tranquilo para toda família.

Top