Como controlar os latidos do seu cachorro

Como controlar os latidos do seu cachorro

Sempre existe aquele cão que não para de latir. Todo momento ele está latindo, fazendo barulho. Você está assistindo televisão e ele latindo, você…

Por Redacao em 20/12/2011

Sempre existe aquele cão que não para de latir. Todo momento ele está latindo, fazendo barulho. Você está assistindo televisão e ele latindo, você está lendo um livro e ele continua latindo, você tenta conversar com alguém ao telefone, mas ele ainda não parou de latir.

Preste atenção, pois o principal culpado de tanto latido pode ser o próprio dono. Por incrível que pareça, os donos que menos gostam de latidos são os que mais rapidamente ensinam o cão a latir para tudo. Isso porque, para fazê-lo parar de latir, lhe dão exatamente o que ele quer. E o cão logo percebe que basta latir para que seus donos tirem a bolinha que está embaixo do armário ou abram mais rapidamente a porta. Ou seja, para resolver um problema imediato, as pessoas acabam treinando o cão a latir cada vez mais.

Não é nada fácil cuidar de um cachorro, até por que ele será um eterno bebê precisando do carinho e atenção de seus “pais”. Mas da mesma forma que se deve colocar limites a uma criança, deve-se também impor limites aos cães.

Que tal algumas dicas?

Vamos começar pelos exercícios e atividades, pois um cão que não se exercita dá espaço para o surgimento de alguns problemas comportamentais, como ansiedade, stress, inclusive o latido em excesso. O intuito não é banir o latido apenas diminuir o exagero dele. Por isso, sempre procure exercitar o seu bichano diariamente, com brincadeiras, adestramento e passeios. Brincadeiras aeróbias são as mais recomendadas, pois provocam relaxamento mental e físico, além de alterarem alguns neurotransmissores cerebrais, funcionando de maneira semelhante a um antidepressivo.

O adestramento pode estar inserido no dia a dia do cão. Use sempre algum comando que ele conheça antes de lhe dar algo que ele deseje como petisco, carinho e brinquedo. Passeios diários são excelentes – exercitam o cão, fornecem uma porção de estímulos visuais, auditivos e olfativos, além da atividade ser feita em companhia, o que também é muito importante para os cães.

Ampliar a comunicação é o segundo passo para melhorar a quantidade de latidos. Lembre-se, cão que só sabe pedir latindo fica mais ansioso e aflito quando é impedido de usar essa forma de comunicação. Por isso, estimule o seu cão a usar outros sinais para manifestar as vontades dele. Para tanto, passe a atender os sinais alternativos usados pelo cão, aos quais você não dava atenção. Como quando ele põe a pata no seu colo para pedir carinho ou fica olhando para a maçaneta para alguém abrir a porta. Novos comportamentos comunicativos podem ser ensinados, como trazer a guia na boca para mostrar que quer passear ou cumprimentar, para ganhar petisco.

Esse passo deve começar desde o inicio, que é repreender erros. É essencial que o cão não consiga o que deseja quando está latindo. A vontade dele nunca deve ser satisfeita enquanto faz algo considerado errado. Uma boa ajuda para controlar os latidos é associá-los com algo desagradável, como um gosto amargo na boca ou um susto.

Para o estímulo desagradável ser eficiente, o cão precisa querer evitá-lo, e a sua aplicação deve ser feita no exato momento em que o comportamento errado acontece. Normalmente, o que um adestrador utiliza é o sacudir uma lata com moedas para fazer barulho ou jogar um jato leve de água no focinho do cachorro para causar um susto ou desconforto. Mas cuidado ao utilizar a lata com moedas se você tiver mais de um cachorro, pode acabar assustando os outros ao repreender um só.

Procure sempre recompensar os acertos que o cão fizer, que no caso seria o não latir. No entanto, esse trabalho precisa de muita disciplina e paciência por parte do dono, pois o resultado vem aos poucos. É preciso esperar, pois ensinar dá trabalho!

Top