Comercial com Cumpadi Washington é denunciado

A frase “sabe de nada, inocente” caiu no gosto do brasileiro, pelo menos da maior parte da população que acompanha os comercias de televisão…

Por Élida Santos em 29/05/2014

A frase “sabe de nada, inocente” caiu no gosto do brasileiro, pelo menos da maior parte da população que acompanha os comercias de televisão e internet. A propaganda do site Bomnegócio.com usa famosos para se passar por produtos que estão incomodando seus donos e que rapidamente são vendidos. Porém, o comercial com Cumpadi Washington acabou sendo denunciado.

Parte do comercial (Foto: Divulgação)

Leia mais informações sobre: Grupo É O Tchan Pode Voltar Em 2013

Comercial com Cumpadi Washington é denunciado

Após receber cerca de 50 reclamações de consumidores, sendo que a maior parte das queixas era de mulheres, o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) resolveu que a companhia Bomnegócio.com, que tem como foco a intermediação de comercialização de produtos online, vai ter que editar a campanha publicitária com o músico Compadre Washington. Isso acontecerá porque o bordão “sabe de nada, inocente” foi considerado sexista.

Reclamações para o Conar sobre propaganda de Bomnegócio.com

As reclamações realizadas ao Conar é o conteúdo sexista da publicidade. As pessoas acusam que parte do comercial tem esse conteúdo sexista. Na propaganda, Compadre Washington (que dá voz a uma caixa de som e a uma rádio) vê uma mulher saindo da piscina e faz elogios de gosto duvidoso na frente do marido dessa mulher.

Saiba mais informações sobre: Site bom negócio, www.bomnegocio.com

O problema da publicidade para muitos é a parte que o músico chama a mulher de “ordiná..”, mas não termina de pronunciar a palavra “ordinária”, que fica subentendida. Esse trecho da campanha poderá ser removido da campanha.

 

Músico fala de modo ofensivo as mulheres no comercial para Conar (Foto: Divulgação)

Queixas começaram em fevereiro

A primeira queixa contra a publicidade de Cumpadi Washington contra a empresa Bomnegócio.com chegou ao Conar em 18 e fevereiro, porém, somente na terça-feira (27 de maio) o caso foi julgado. A Bomnegócio.com ainda pode recorrer dessa decisão. Por meio de uma nota oficial, a companhia informou que “aguardará a notificação do órgão para tomar devidas providências”.

Top