Clínica gratuita dependentes químicos Rio de Janeiro

A dependência química é um mal que afeta milhares de brasileiros. Ela pode ser causada por drogas lícitas ou ilícitas e resulta na alteração…

Por Isabella Moretti em 15/05/2015

A dependência química é um mal que afeta milhares de brasileiros. Ela pode ser causada por drogas lícitas ou ilícitas e resulta na alteração de comportamento do dependente. Além de deixar o indivíduo fora de controle e agressivo pelo fato de o usuário sentir falta da droga, a dependência também prejudica a saúde do organismo e afeta o convívio familiar, para isso existem clínicas que oferecem tratamento de forma gratuita, conheça agora Clínica gratuita dependentes químicos Rio de Janeiro.

Saiba mais: Internação compulsória: esclareça as dúvidas

 

Clínica gratuita dependentes químicos Rio de Janeiro

A dependência química e a internação

De acordo com especialistas, a dependência é causada porque a droga aciona um sistema de recompensa no cérebro. A ilusão química provocada pela substância gera prazer no indivíduo, que vai querer repetir o uso da substância compulsivamente. O vício passa, então, a ser uma ameaça à vida do usuário, pois ele só pensa em drogas e corre o risco de sofrer uma overdose.

Alguns casos de dependência química são tão agressivos que a única solução é a internação em uma clínica. Este tipo de centro é apropriado para o tratamento do viciado em narcóticos e ajuda a afastá-lo do mundo das drogas.

Para enfrentar o problema das drogas sem que o indivíduo queira aceitar o seu estado há duas formas de internação legalizadas pela lei: a involuntária, no qual um familiar do dependente químico faz a solicitação e a compulsória, que não requer necessariamente a autorização de um parente, mas depende da decisão do juiz.

Clínicas para dependentes químicos no RJ

O Rio de Janeiro tem enfrentado sérios problemas com os dependentes químicos, principalmente aqueles que são viciados em crack. De acordo com dados da Secretaria Municipal de Assistência Social, o Rio tem hoje 11 cracolândias e outros seis pontos itinerantes de consumo desta droga. O crack é consumido principalmente nas favelas do Jacarezinho, Manguinhos e Morro do Cajueiro, em Madureira.

Uma clínica particular carioca cobra, em média, R$ 7 mil por mês para tratar o dependente em crack. Se a família do indivíduo não tem condições financeiras para bancar o tratamento, a Prefeitura do Rio banca os gastos. Para recuperar um viciado em crack, saem cerca de R$ 3 mil por mês dos cofres públicos. Mensamente, a capital carioca tem investido R$ 1,7 milhão para acolher e tratar os dependentes químicos carentes.

A Prefeitura do Rio mantém uma clínica gratuita em Guaratiba, na Zona Oeste da cidade. O Centro Especializado de Atendimento à Dependência Química Ser Criança abriga 50 jovens menores de 18 anos, todos meninos, que tentam superar o vício em crack para retomar a vida.

Tratamento para Dependentes Químico – Rio de Janeiro

Os viciados em crack adultos são normalmente encaminhados para a Unidade Municipal de Reinserção Social Rio Acolhedor, em Paciência, zona oeste. O centro comporta 350 pessoas e atende, inclusive, moradores de rua. Além do tratamento contra o vício, a clínica tenta restabelecer os laços familiares e a vida social do dependente.

Top