Citomegalovírus na gravidez: saiba mais

Após a comprovação da gravidez, a gestante deve iniciar a realização do pré-natal. Ele consiste no acompanhamento de toda a gestação através de consultas…

Após a comprovação da gravidez, a gestante deve iniciar a realização do pré-natal. Ele consiste no acompanhamento de toda a gestação através de consultas (no mínimo seis), nas quais a saúde da gestante e do bebê serão avaliadas. Tudo isso ocorre no intuito de prevenir complicações. Durante todo o processo, serão solicitados exames de rotina, incluindo sorologias para doenças infectocontagiosas e que podem ser responsáveis por alterações morfológicas do bebê. Entre elas podemos citar a toxoplasmose, a hepatite B, o HIV, a rubéola e a citomegalovirose. Conheça algumas informações sobre o citomegalovírus na gravidez.

Saiba quais são as doenças mais comuns na gravidez.

Durante a realização do pré-natal, a gestante é avaliada através de exames específicos. (Foto: divulgação)

Definição de citomegalovírus

O citomegalovírus (CMV) é um vírus da mesma família do herpes. Segundo dados, cerca de 1% dos recém-nascidos nascem com a infecção. Esta enfermidade é conhecida no meio médico como citomegalovirose congênita. Vale ressaltar que a maioria dos casos de infecção congênita não apresenta nenhum sintoma, sendo denominada como inofensiva. Por outro lado um número pequeno da população dos recém-nascidos pode apresentar sequelas da infecção, ou mesmo desenvolver algum sintoma após passarem meses ou anos do contato com o vírus.

 Saiba como ocorre a infecção por CMV

O CMV é principalmente transmitido pelo contato direto com saliva, urina, fezes, sêmen, sangue, lágrimas, saliva e secreção genital de uma pessoa infectada para outra não infectada.

 Como a infecção por CMV é transmitida para o bebê?

O CMV é transmitido para o bebê através da placenta ou quando entrar em contato com secreções vaginais da mãe na hora do parto normal. Em casos raros, a infecção pode ocorrer através do leite materno. Quando a infecção ocorrer durante o parto ou através do aleitamento materno, o bebê quase não apresenta sintomas ou sequelas da infecção. No entanto, quando ocorre através da transmissão placentária, o risco do bebê apresentar algum problema é maior.

A infecção por citomegalovírus pode causar perda auditiva no bebê. (Foto: divulgação)

Consequências da citomegalovirose no recém nascido

Em torno de 90% dos bebês infectados pelo CMV não apresentam nenhum sinal ou sintoma da doença. Além disso, a maioria deles não apresentará nenhum problema de saúde durante toda a infância. Por outro lado, cerca de 10% da população poderá apresentar problemas tardios, manifestados já durante a infância. Um dos distúrbios mais comuns da infecção pelo CMV é a perda auditiva.

Leia Também:  Descolorir pelos do corpo: cosméticos indicados

No caso da infecção ocorrer por via placentária, o bebê infectado poderá apresentar, logo no nascimento, anormalidade no sistema nervoso, limitação no crescimento, tamanho reduzido da cabeça, fígado e baço aumentados, icterícia e petéquias (pequenas manchas de coloração avermelhada na pele que são ocasionadas por sangramento subcutâneo). Dentre esses, em torno de 90% podem apresentar sequelas como perda auditiva, deficiência visual, retardo mental e problemas neurológicos.

O citomegalovírus é uma das doenças infectocontagiosas que podem causar problemas no bebê. (Foto: divulgação)

O CMV é uma infecção que é muito comum em nosso meio. Quando manifestada em pessoas imunocompetentes é inofensiva. No entanto, quando a infecção ocorre durante a gestação, são necessários alguns cuidados. Após conhecer um pouco mais sobre a infecção de citomegalovírus na gravidez, basta procurar a orientação de um especialista e avaliar a possibilidade de investiga-la durante o pré-natal.

Conheça sobre os perigos da rubéola na gravidez.

Top