Cirurgia ortognática – como funciona

A Cirurgia ortognática é feita para corrigir problemas faciais, principalmente quando há discrepâncias dento-esqueléticas. Ou seja, no caso de más oclusões, impossíveis de se…

Sorriso gengival - pode ser corrigido pela cirurgia ortognática

A Cirurgia ortognática é feita para corrigir problemas faciais, principalmente quando há discrepâncias dento-esqueléticas. Ou seja, no caso de más oclusões, impossíveis de se reparar apenas com uso de aparelhos ortodônticos.

Quais problemas a cirurgia ortognática corrige

A cirurgia é destinada a tratar problemas em três planos da face: antero-posterior, vertical e transverso.

Plano antero-posterior: são relacionados a problemas do tipo “queixo grande”, chamado prognatismo mandibular; ou de “queixo pequeno” denominado retrognatismo. O maxilar também pode se apresentar com problemas de posicionamento, necessitando correção.

Plano vertical: a este plano estão relacionados os problemas do tipo deficiência de altura do terço inferior da face, ocasionando defeitos estéticos como a pessoa sorrir e não mostrar ou mostrar pouco os dentes superiores, dando a aparência de que não possui dentes.

Outro problema que pode ser corrigido nesse plano é o excesso de altura do terço inferior da face, que provoca situações do tipo “sorriso gengival”. Este é o problema no qual a pessoa mostra em excesso os dentes e a gengiva, tanto em repouso como durante o sorriso.

Encaixam-se nestes casos, também, os indivíduos que não conseguem permanecer com a boca fechada em repouso. Eles normalmente possuem um rosto mais comprido do que o normal.

Planos transverso: consiste de situações onde os maxilares estão em desarmonia no sentido lateral. Ou seja, a face aparenta-se torta ou desviada para um dos lados.

Etapas do tratamento

Primeiramente é necessário procurar um Ortodontista e um Cirurgião Buco-Maxilo-Facial. Esses profissionais precisam se reunir antes de iniciar o tratamento, para discutir e planejar cada procedimento, visando um resultado satisfatório.

Para realizar a cirurgia é importante que o indivíduo tenha cessado o crescimento esquelético, pois não haverá mais movimentos no sentido de modificar a estrutura óssea. Dessa forma os resultados podem ser mais previsíveis. Normalmente isso ocorre nas meninas entre 14 e 15 anos, e nos meninos um pouco mais tarde, por volta dos 17 anos.

Continuar Lendo  Sapatos com Brilhos - Modelos, fotos

Porém, há casos onde a cirurgia pode ser antecipada, quando a deformidade atrapalha a vida social da criança, por exemplo.

É quase sempre necessário realizar a ortodontia em conjunto com o tratamento cirúrgico de ortognática.

Faz-se um preparo ortodôntico que dura de 12 a 18 meses. Serve para melhorar o encaixe dos dentes, que melhora o quadro após a cirurgia.

Após esse momento, pode ser realizada a correção cirúrgica. Depois, são necessários mais 10 meses de aparelho ortodôntico para o término do tratamento.

O uso de aparelho normalmente não melhora a mordida antes da cirurgia, porque os dentes destes pacientes apresentam-se fora das bases ósseas. É necessário arrumar esta imperfeição antes da realização do procedimento cirúrgico, para que o resultado após cirurgia seja estável.

Como é realizada a cirurgia

As cirurgias são realizadas no hospital e sob anestesia geral. As incisões são feitas por dentro da boca, dessa forma não ocorre formação de cicatrizes no exterior do rosto. A duração do procedimento é variável, dependo da correção que será feita e do grau de dificuldade para a cirurgia. O período de permanência no hospital normalmente é de um a dois dias, sendo que a continuação da recuperação é feita em casa.

O período pós-operatório normalmente não é dolorido, mas ocorre bastante inchaço até o terceiro ou quarto dia após a cirurgia. Depois, o edema regride rapidamente e os pacientes se tornam aptos a trabalhar por volta do décimo dia, mas sem realizar esforço físico.

Prognatismo - pode ser corrigido pela cirurgia ortognática

Top