Cientistas encontram novo agente que influencia na multiplicação de células cancerígenas

Pesquisadores descobriram um agente que influencia na multiplicação de células cancerígenas pelo organismo. Este mecanismo pode ser considerado como alternativo, pois é dele que…

Pesquisadores descobriram um agente que influencia na multiplicação de células cancerígenas pelo organismo. Este mecanismo pode ser considerado como alternativo, pois é dele que essas células utilizam para produzir energia quando estão em um ambiente carente de nutrientes, como oxigênio e glicose. Quando se encontram nessa situação, na qual não é possível sintetizar os lipídeos – que são fundamentais no fornecimento de energia – a partir da glicose, então eles utilizam da glutamina.

“Em um ambiente normal com quantidades boas de oxigênio, 80% dos novos lipídeos de uma célula vem da glicose e 20%, da glutamina. Essa relação é invertida em um ambiente carente de oxigênio”, contou Othon Iliopoulos, um dos responsáveis pela pesquisa. O estudo foi divulgado através da versão online do periódico “Nature”.

Segundo o cientista, a glutamina pode vir da própria célula, de células vizinhas ou de líquidos extracelulares que estão ao redor.

Apesar dessa via metabólica alternativa já ser conhecida a algum tempo, a nova pesquisa mostrou que esse mecanismo é mais utilizado do que se imagina. Além disso, não apenas as células cancerígenas mas como todas as outras apelam para a glutamina na falta de oxigênio. “Esse mecanismo vai contra o que se acreditava sobre a as células sintetizarem a maioria de seus lipídeos pela glicose”, afirma Matthew Vander Heinden, professor no Instituto de Tecnologia Massachusetts e outro autor da pesquisa.

O próximo passo é descobrir como acontece a troca da glicose pela glutamina. “Entender o mecanismo que regula a opção por utilizar a glutamina seria importante para nos aproximarmos mais de novos tratamentos eficazes contra o câncer”.

O estudo pode ajudar para se produzir novas drogas contra a doença.

Leia Também:  Estudo sobre celular descarta risco de câncer associado ao uso do aparelho.

Top