Chefes abusivos: como lidar

A maior parte das pessoas passa pelo menos oito horas no ambiente de trabalho, chegando a ter mais contato com o seu chefe do…

Por Élida Santos em 22/02/2012

O excesso de trabalho pode prejudicar sua vida pessoal (Foto: Divulgação)

A maior parte das pessoas passa pelo menos oito horas no ambiente de trabalho, chegando a ter mais contato com o seu chefe do que com os seus familiares. Como em um casamento é natural que situações de conflito apareçam, mas às vezes esse tipo de rotina acaba desgastando a relação entre os colaboradores. Pior ainda é quando se tem que conviver com pessoas acomodadas, que tratam o colega de maneira displicente. Quando o desconforto parte de atitudes vindas por parte da chefia o assunto tende a piorar.

Para mostrar eficiência no trabalho quando se começa em uma nova função ou companhia é normal querer “mostrar serviço”, ou seja, não dizer não para nada que é solicitado. Fazer hora-extra aos finais de semana e depois do expediente, levar tarefas para serem concluídas em casa e até passar a fazer coisas que não lhe cabem. A organização adora esse tipo de funcionário, que é pró-ativo e não reclama de nada que lhe é imposto.

Procure o recursos humanos da empresa em caso de abuso do seu chefe (Foto: Divulgação)

Porém, alguns gestores percebem essas atitudes que geralmente reflete a vontade de conquistar o seu espaço na organização e acabam de certa forma se aproveitando da situação, atribuindo mais funções do que o normal, inclusive, aquelas que cabem a ele próprio fazer. Com medo de perder o emprego esse trabalhador acaba fazendo tudo o que lhe imposto, mesmo que sutilmente, tendo uma carga de trabalho muito maior do que a necessária.

Esse tipo de coisa é capaz de causar impactos até na sua saúde, por isso, não seja conivente com abusos. Por mais difícil que possa parecer busque os seus direitos como ser humano, converse com o departamento de Recursos Humanos da empresa. Se a companhia for séria, e estruturada, esse setor deverá te ajudar, mantendo o sigilo das reclamações, podendo até te mudar de setor se julgar necessário, além de observar as atitudes de seu supervisor, para confirmar o abuso exercido.

Priorize sua saúde e não assuma trabalhos demais (Foto: Divulgação)

Alguns preferem uma atitude mais radical, conversar com o chefe de seu gestor. Muitas vezes essa pessoa possui um cargo de suma importância na companhia, e nem sempre poderá lhe dar a atenção desejada. Por isso, evite levar problemas corriqueiros para esse profissional, no entanto, se for extremamente necessário tenha uma conversa particular.

De alguma forma procure resolver o impasse, comece de modo delicado a deixar claro que não pode levar trabalho para casa e que as horas extras devem ser exceção e não rotina. Não se estresse com acúmulo de trabalho caso não fique mais após o trabalho. A empresa precisa perceber a necessidade de contratar mais funcionários se necessário. Cada um tem o seu limite, não assuma responsabilidades que não lhe cabem se não lhe impulsionam profissionalmente. Não confunda o comodismo do seu chefe com profissionalismo. É importante realizar suas funções com excelência, mas não deixe que as pessoas se aproveitem disso para ganhar méritos que não lhes pertencem.

Top