Cérebro é programado para odiar dietas segundo estudo

Cérebro é programado para odiar dietas segundo estudo feito por cientistas americanos do Campus de Pesquisa Janelia Farm, ligado ao Instituto Médico Howard Hughes.…

Cérebro é programado para odiar dietas segundo estudo feito por cientistas americanos do Campus de Pesquisa Janelia Farm, ligado ao Instituto Médico Howard Hughes. Eles afirmam que células do cérebro, sensíveis à fome, são as responsáveis por esse horror às dietas.

Cérebro é programado para odiar dietas, segundo estudo (Foto Ilustrativa)

Na hora de acabar com aqueles quilinhos extras, que tanto incomodam, muitas pessoas sentem dificuldade em abandonar velhos hábitos alimentares, que são os responsáveis pelo ganho de peso. Fazer dieta chega a ser uma verdadeira tortura, em alguns casos.

E a resposta para esse medo das dietas pode estar na ação dos neurônios AGRP, como são conhecidas as células sensíveis à fome. Ao fazerem algumas experiências, os pesquisadores americanos descobriram que tais neurônios ajudam a ativar sensações desagradáveis associadas à fome, tornando as guloseimas irresistíveis.

Comer chocolate diariamente ajuda perder peso

Cérebro é programado para odiar dietas segundo estudo

A ação dos neurônios AGRP pode dificultar a perda de peso (Foto Ilustrativa)

De acordo com Scott Sternson, líder da pesquisa que mostra que a dificuldade em fazer dieta pode estar relacionada à ação de alguns neurônios, as emoções negativas associadas com a fome contribuem para transformar a dieta e o emagrecimento em tarefas complicadas.

Os resultados do estudo, divulgados na revista “Nature”, sinalizam que os neurônios AGRP podem atuar enviando ao cérebro sinais de que há comida disponível no ambiente em que a pessoa está, funcionando como uma espécie de estímulo para que ela se alimente.

Esses neurônios têm a função de estimular a pessoa a sentir fome (Foto Ilustrativa)

Como emagrecer sem fazer dieta: dicas, passo a passo

Leia Também:  Impressoras Multifuncionais HP Preços e Modelos

Ainda conforme os pesquisadores, essa ação dos neurônios estaria ligada a um sistema motivacional muito antigo, que obrigava os primeiros humanos (e também os animais selvagens) a buscar alimentos e água, para satisfazer suas necessidades fisiológicas, como a fome e a sede.

E a pesquisa revelou ainda que esses neurônios específicos, localizados na região do hipotálamo, não levam o homem diretamente a comer, mas o ensinam a responder certas pistas sensoriais que sinalizam a presença de comida nas proximidades.

Como driblar a dificuldade para fazer dieta

Eles atuam fazendo com que o cérebro identifique a presença de comida por perto (Foto Ilustrativa)

Algumas pessoas sentem mais dificuldade em iniciar e seguir uma dieta do que outras, o que pode estar relacionado a um antigo instinto do ser humano, conforme sugerido pelos pesquisadores.

5 dietas que nunca devem ser feitas

Nesse caso, quem quer perder peso precisa ter muita força de vontade para driblar essa dificuldade. Amigos, parentes e profissionais especializados no assunto podem contribuir bastante para essa superação.

Top