Centrais sindicais organizam protestos e greves para julho

As centrais sindicais de maior expressão política no Brasil marcaram para o mês que vem uma greve geral. Batizado como o “Dia da Luta”,…

As centrais sindicais de maior expressão política no Brasil marcaram para o mês que vem uma greve geral. Batizado como o “Dia da Luta”, a mobilização deve acontecer no dia 11 de junho. Os protestos e manifestações têm como objetivo fazer com que Dilma Rousseff dê mais atenção as propostas trabalhistas entregues em março desse ano ao governo federal. A decisão foi tomada durante uma reunião quer aconteceu nesta terça-feira (25 de junho) com as lideranças da Força Sindical, UGT, CUT, CSP-Conlutas, CTB, CSB, CGTB e NCST, juntamente com o MST e o Dieese.

Greves gerais serão convocadas no dia 11 de julho (Foto: Divulgação)

Greve geral é preparação para grande marcha prevista para agosto

Essa onda de paralisação é uma prévia para uma marcha que deve acontecer em agosto, em Brasília. A data para esse movimento ainda não foi marcada. “Queremos o cumprimento dessa pauta histórica da categoria, que está nas mãos da presidente desde antes de ela ter sido eleita e que infelizmente ela não cumpriu”, disse o deputado Paulinho da Força, presidente da Força Sindical.

“Vamos chamar à unidade das centrais sindicais e dos movimentos sociais para dialogar com a sociedade e construir uma pauta que impulsione conquistas, as reivindicações que vieram das ruas à pauta da classe trabalhadora”, afirmou o presidente da CUT, Vagner Freitas.

Greves gerais acontecerão em julho (Foto: Divulgação)

Reunião na manhã do dia 26 vai reforçar reivindicações da categoria

Na manhã dessa quarta-feira, 26 de junho, representantes das centrais sindicais vão fazer uma reunião com a presidente Dilma, em Brasília, para reforçar as principais reivindicações desse grupo. A proposta consiste em basicamente seis pontos: aumento de salários; redução de jornadas de trabalho; maior investimento em saúde e educação; apoio à reforma agrária; transporte público de qualidade e fim do fator previdenciário.

Leia Também:  Consulta ao nome sujo pela internet será gratuita

A CSP-Conlutas, uma das entidades que apoia a causa, anunciou que vai estar nas ruas com greves, paralisações a manifestações de  várias categorias, do movimento popular e dos estudantes já nestes dias 26 e 27 de junho. O terá como principal objetivo a preparação para o dia 11 de julho.

Top