Bullyng no Trabalho: Aprenda a Se Proteger

Convocar reuniões sem advertir o funcionário, espalhar fofocas, excluir colegas do grupo, não compartilhar conhecimento e desmerecer resultados, estes são alguns exemplos do assédio…

Convocar reuniões sem advertir o funcionário, espalhar fofocas, excluir colegas do grupo, não compartilhar conhecimento e desmerecer resultados, estes são alguns exemplos do assédio moral no trabalho, o qual pode vir tanto do seu chefe quanto de colegas. São situações comuns em muitas empresas, as quais envolvidas com o mercado competitivo passam a transtornar funcionários criando um verdadeiro cenário nebuloso. A pessoa com o tempo vai ficando sem ânimo para trabalhar e sem forças para reagir. Pensando nisso, listamos algumas estratégias de como se proteger desses terríveis transtornos.

Corte logo

Assim que o agressor começar a atormentar, a pessoa não deve se mostrar frágil, pois se ele vê que a pessoa se intimida, ele certamente continuará o que se caracterizará o assédio. Quando este fato vier a acontecer, procure responde aos primeiros comentários e piadas de mau gosto, pois dessa forma ele verá que é forte e dá o troco no ato. Você poderá tanto responder apelando para o humor, para não constranger o pessoal à volta, os quais não têm nada haver com a situação ou cortar de vez.

Consiga Aliados

Comece a prestar atenção, e veja quem não está envolvido e até parece estar incomodado com as piadas de mau gosto. Procure se aproximar dessas pessoas, pois, a companhia ajuda a se manter forte e focado no trabalho.

Compartilhe o Problema

É bom e ajuda muito contar o que ocorre à família e aos amigos e ter apoio externo. Uma terapia também pode ser necessária, pois, em partes construímos nossa auto imagem pelos olhos de outra pessoas, e se toda hora sofremos algum tipo de assédio, podemos acabar acreditando no que dizem.

Procure o RH da Empresa

Se depois de todas as etapas e nada resolveu, a única saída é procurar o RH e relatar o problema. Exponha todo o ocorrido e estudem a opção de uma transferência de departamento. Se ainda não tiver tranquilidade em outro setor só restará recorrer a justiça. No entanto, vai ser preciso de provas, como gravações ofensivas, e-mails e até testemunhas para comprovar o fato.

Leia Também:  Pressão nem sempre é assédio moral

O bullyng pode causar diversos problemas posteriores à pessoa como: insegurança, baixa estima dificuldade em estabelecer vínculos afetivos e sociais, solidão e outros. Por isso vá atrás de seus direitos, se nada resolver não perca tempo em entrar na justiça, pois, se deixar para tomar uma providencia depois de muito tempo, o maior prejudicado vai ser você.

Top