Bullying: Quem Nunca Sofreu com Bullying?

Nos últimos anos, uma certa palavrinha tem sido cada vez mais pronunciada em nosso cotidiano: o termo “bullying”. E embora ela só tenha se…

Nos últimos anos, uma certa palavrinha tem sido cada vez mais pronunciada em nosso cotidiano: o termo “bullying”. E embora ela só tenha se tornado frequente em nosso vocabulário agora, o seu significado é conhecido de muita gente.

O que é bullying?

De acordo com a revista Nova Escola, bullying é uma situação caracterizada por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas, que pode ocorrer em qualquer contexto social: escola, trabalho, universidade, vizinhança ou até mesmo a família. Mesmo não havendo uma denominação para isso em português, podemos entender como ameaça, humilhação, maltrato, opressão e tirania.

É difícil encontrar quem nunca tenha sofrido o que é descrito no termo. Uma pesquisa realizada em 2008 em seis estados brasileiros apontou que 70% entre 12 mil alunos entrevistados afirmaram ter sido alvo de violência escolar, sendo que o bullying era a mais comum delas. E já que o fenômeno não é recente, basta pararmos para pensar um pouco nos velhos tempos de escola e descobrir que estivemos entre as vítimas: apelidos ofensivos, agressões físicas ou morais que até bem pouco tempo eram classificados como simples brincadeiras.

Caso não tenha passado por algo assim, provavelmente conhece alguém ou até mesmo presenciou este tipo de episódio. Ele é mais comum do que pensamos, especialmente dentro das instituições de educação. É impossível ter passado incólume, sem nunca ter sabido nada a respeito, mesmo que fosse apenas uma notícia no telejornal, ainda que não soubesse da existência de um termo que pudesse definí-lo. E caso seja alguém que mantenha interesse por internet e tecnologia também já se deu conta de que a valentia já chegou a era 2.0 e se aproveita da tecnologia.

Leia Também:  Benefícios da água para o corpo

Cyberbullying: Valentões 2.0

A popularização da internet em geral é algo benéfico, porém para quem sofre com assédio também significa um pesadelo. É que a agressão em ambiente virtual pode ser muito pior do que aquela sofrida na vizinhança ou na escola devido ao seu potencial ilimitado. Ela expõe sua vítima à agressão o tempo todo e ainda fornece um agravante: muitas vezes o agressor está protegido pelo anonimato, o que parece aumentar o seu poder.

Consequências do bullying:

As consequências deste tipo de agressão normalmente se mostra desastrosa para o convívio social de quem é agredido, especialmente a longo prazo: tendências ao isolamento, queda no rendimento escolar ou do trabalho, somatização de seu sofrimento em doenças psicossomáticas – aquelas nas quais o estado emocional tem um papel importante no seu aparecimento. – ou teve algo em sua personalidade influenciada pelas constantes agressões. Em casos extremos, pensamentos envolvendo soluções drásticas, como mortes e suicídio.

Como se livrar do bullying?


Embora uma grande parte das vítimas acabe preferindo ficar calada, seja pela vergonha ou por medo – existem formas de reagir e se livrar do pesadelo e isso inclui romper o silêncio. Não tenha medo de denunciar e contar o que está acontecendo para os seus pais ou responsáveis, e até para um advogado, caso isso seja necessário. E acima de tudo: cuide de sua autoestima. Quando você gosta de si mesmo, estará menos propenso a aceitar e acreditar nas provocações que sofre.

Top