Bronzeamento artificial: Riscos e benefícios

O bronzeamento é uma reação de defesa do organismo contra a agressão que é provocada pela radiação. O bronzeamento artificial não descasca e não…

Bronzeamento Artificial
O bronzeamento é uma reação de defesa do organismo contra a agressão que é provocada pela radiação.

O bronzeamento artificial não descasca e não oferece o risco de queimaduras. O efeito que se consegue através de cabines de bronzeamento. Porém os dermatologistas alertam os riscos desse procedimento, que pode causar envelhecimento precoce da pele e até mesmo o câncer de pele.

As pessoas adeptas ao bronzeamento sabem que para “pegar aquela corzinha” é preciso alguns dias de sol. As pessoas que fazem o bronzeamento artificial adquire a cor desejada gradativamente, sem nunca ficar queimada e posteriormente descascada.

As camas de bronzeamento artificial têm uma estrutura de acrílico transparente por onde passam as luzes vindas de uma série de lâmpadas. Normalmente são classificadas de alta, mista e de baixa pressão, com lâmpadas especiais que geram 98% de luz ultravioleta A e 2% de ultravioleta B.

Os efeitos nocivos dos raios ultravioletas A e B não são visíveis logo de imediato, porém, os seus danos e irritação são cumulativos e podem dar os primeiros sinais somente após 10 anos ou mais. Porém, é preciso lembrar dos seus benefícios que o raio ultravioleta que é muito importante na formação da vitamina D, que é responsável pela fixação de cálcio nos ossos.

Top