Brasil vence pela terceira vez a batalha de robôs nos EUA

Fonte: Bruno Maestrini / Terra Desde que a Combotz foi criada em 2007, o Brasil ocupa lugares de destaque. Mas se o país continuar…

Por Redacao em 01/11/2011

Fonte: Bruno Maestrini / Terra

Desde que a Combotz foi criada em 2007, o Brasil ocupa lugares de destaque. Mas se o país continuar se destacando dessa maneira, parece provável que paixão nacional deixe de ser uma bola de futebol para dar lugar a um controle remoto e robôs de destruição.

Isso porque a equipe da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), coordenada pelo professor Marco Antonio Meggiolaro, faturou três das quatro medalhas de ouro mais importantes da Combotz (torneio de lutas entre robôs). Em uma das categorias, deu até dobradinha brasileira no pódio com direito até a vitória por WO. A competição ocorreu neste último domingo (30/10) em San Mateo, Estados Unidos.

A disputa divide os participantes em diversas categorias de acordo com seu porte, exatamente como os participantes de boxe. O esporte possui uma série de regras e, a princípio, vence a máquina que empurrar o adversário para fora do ringue ou que desabilite o robô adversário. Caso nenhum dos dois vença no prazo de 3 minutos, uma equipe de juízes escolhe quem é o vencedor analisando a agressividade e os danos de cada um dos competidores.

A equipe da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro se prepara agora para a próxima etapa da Robogames que acontece em Tóquio no ano que vem.

Top