Brasil é o terceiro país com maior porcentagem de ex-fumantes

Brasil é o terceiro país com maior porcentagem de ex-fumantes

De acordo com um estudo publicado no periódico médico The Lancet, o Brasil é o terceiro país com o maior índice de ex-fumantes, ficando…

Por Isabella Moretti em 23/08/2012

De acordo com um estudo publicado no periódico médico The Lancet, o Brasil é o terceiro país com o maior índice de ex-fumantes, ficando atrás apenas do Reino Unido e Estados Unidos. Das pessoas entrevistadas para a pesquisa, 46,4% dos homens e 47,7% das mulheres afirmaram ter fumado diariamente, mas que tinham abandonado o cigarro. Este mesmo índice foi de 57,1% e 51,4% respectivamente entre os britânicos e 48,7% e 50,5% com relação aos americanos.

Os brasileiros estão, aos poucos, deixando de fumar. (Foto:Divulgação)

Dos países com baixa e média renda, o Brasil tem mais ex-fumantes

Para elaborar o ranking dos países com mais ex-fumantes, o levantamento considerou os dados de três bilhões de pessoas, que foram coletados entre 2008 e 2010, em 16 países diferentes, sendo a maioria de baixa e média renda (Brasil, Bangladesh, China, Egito, Índia, México, Filipinas, Polônia, Rússia, Tailândia, Turquia, Ucrânia, Uruguai e Vietnã). As informações dos americanos e britânicos só foram usadas na pesquisa para fins de comparação.

Nos países avaliados pela pesquisa, o uso de cigarros industrializados ainda predomina com 64%. (Foto:Divulgação)

Além de descobrir que o Brasil é o terceiro país com maior porcentagem de ex-fumantes, constatou-se também que 49% dos homens e 11% das mulheres são tabagistas. A população feminina apresentou um índice bem menor na pesquisa, entretanto, as mulheres estão aderindo mais precocemente o cigarro do que os homens, ou seja, dos 17 aos 20 anos. Embora existam muitas formas de consumir o tabaco, o uso de cigarros industrializados ainda predomina com 64%.

O novo estudo descobriu que o maior número de fumantes se encontra na China, cerca de 301 milhões. A segunda posição no ranking dos países com mais usuários de cigarros é ocupada pela Índia, com 274 milhões. O índice de pessoas que abandonam o vício também é bem inferior em países como China, Índia, Rússia e Egito.

Veja também: Estresse é o principal ensejo de recaídas entre ex-fumantes

O Marketing da Indústria tabagista

Em países com muitos fumantes, a indústria tabagista apela com o marketing. (Foto:Divulgação)

Para Gary Giovino, coordenador da pesquisa, estima-se que 1 bilhão de pessoas no mundo irão morrer prematuramente no próximo século por causa do cigarro. Ele acredita que marketing a favor do fumo ainda é intenso no mundo, fazendo com que o produto prejudicial à saúde seja visto pelas pessoas como algo glamoroso e capaz de oferecer igualdade de gêneros. Para mudar esta visão em alguns países, é necessário que as campanhas contra o tabagismo sejam reformuladas, mostrando os reais riscos que o vício pode trazer à saúde.

Outra pesquisa realizada no Brasil mostrou que a situação é mais otimista entre os brasileiros do que mostra o trabalho divulgado no The Lancet. De acordo com a Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), o cigarro ainda é um vício para 18,1% dos homens e 12% das mulheres.

Saiba mais: Número de fumantes no Brasil é o menor dos últimos 6 anos

Top