Bolsas de Estudo no Japão para Brasileiros

Estudar ou estagiar em um país desenvolvido é uma experiência válida e importante para a vida profissional de qualquer pessoa. Por isso, o Japão…

Estudar ou estagiar em um país desenvolvido é uma experiência válida e importante para a vida profissional de qualquer pessoa. Por isso, o Japão oferece 5 modalidades de Bolsas de Estudo para descendentes. Algumas, também são dedicadas a não descendentes. O objetivo do país é transferir a sua tecnologia aos países subdesenvolvidos e contribuir para o crescimento deles. Para a maioria das bolsas, é preciso ter o inglês ou o japonês intermediários. Como muitos descendentes já não falam o japonês, o inglês foi adotado em algumas provas. Porém, o conhecimento da Língua Japonesa é um grande diferencial. Conheça abaixo as diferentes Bolsas de Estudo no Japão para Brasileiros:


Bolsas das Províncias

O Japão é um arquipélago formado por 4 grandes ilhas. Nelas, encontram-se distribuídas 46 províncias. Dessas províncias, 42 oferecem bolsas de estudos para os descendentes de japoneses que vivem em países americanos (Argentina, Bolívia, Brasil, Peru, Paraguai, México, Canadá e Estados Unidos).

Tais bolsas são divididas em dois tipos: o ryugaku (estudo em universidade japonesa) e o kenshu (estágio em empresa japonesa). O objetivo do governo japonês em ceder essas bolsas é formar cidadãos capazes de desenvolver a economia, a tecnologia e a cultura de seu país e fortalecer os laços de amizade entre os países envolvidos.

Para conseguir uma bolsa das províncias, geralmente é necessário ter ascendência da província à qual você vai se candidatar e a participação no Kenjinkai (Associação de Província). É preciso ter o nível superior, ser brasileiro, ter até 30 anos de idade, dominar a Língua Japonesa e ser, de preferência, solteiro.

Os benefícios oferecidos pelas províncias são: passagens aéreas, ajuda de custo, seguro saúde e alojamento. A bolsa para estudar em universidade tem a duração de um ano.

A inscrição geralmente é feita no mês de julho na respectiva Associação de Província no Brasil. A seleção é feita por uma prova escrita de conhecimentos gerais com interpretação de textos e uma entrevista, tudo em japonês. O processo frequentemente acontece em setembro.

Para fazer o estágio no Japão, o descendente deve ter experiência na área à qual se candidatar e ficará no arquipélago por 9 meses. Os critérios de seleção e os pré-requisitos são os mesmos do ryugaku.

Os tipos de pré-requisitos, benefícios e seleções pode mudar dependendo da província. Por isso, antes de se candidatar, tenha todas as informações sobre a província da qual você é descendente. O telefone da Associação de Províncias do Japão é (11)3277-8569.

JICA (Japan International Cooperation Agency)

A JICA oferece anualmente aproximadamente 250 bolsas de estudo para toda a América Latina. A meta dessa cooperativa é fazer com que o desenvolvimento técnico e científico seja espalhado por todo o continente americano. Nesse caso, também há bolsas para não-descendentes em determinadas áreas de estudo. As bolsas são oferecidas nas áreas de Humanas, Exatas e Biológicas, do primeiro grau ao Doutorado. O período da bolsa varia de duas semanas a dois anos.

Para conseguir um das bolsas oferecidas pela JICA, é preciso ter conhecimentos da Língua Japonesa (nível 3 na prova de proficiência) ou de Língua Inglesa (TOEFL 550).

 

Monbukagakusho

O Ministério da Educação, Cultura, Esporte, Ciência e Tecnologia (Monbukagakusho) do governo japonês oferece 5 modalidades de Bolsas de Estudo em universidades públicas do país. A seleção para as bolsas são feitas no Consulado Geral do Japão em São Paulo e para cada tipo de bolsa, há um tipo de processo seletivo diferente.

As bolsas de estudo são para: Pesquisa, Graduação, Escola Técnica Superior, Treinamento de Professores do Ensino Fundamental e/ou Médio e Treinamento de Língua e/ou Cultura Japonesa.

Para saber mais, acesse: www.sp.br.emb-japan.go.jp .

Nippon Zaidan

Essa bolsa é oferecida pela Associação dos Nikkeis no Exterior. No entanto, são apenas 5 bolsas para todos os países da América Latina e da América Central. Para conseguir uma das bolsas, é preciso ser descendente de japoneses e ter entre 18 e 35 anos. As bolsas de estudo Nippon Zaidan são direcionadas para estágios ou pesquisas e pretendem fazer com que o bolsista realize o seu sonho.

 

Latec (Latin America Technical Exchange Center)

Essas bolsas de estudo são oferecidas para toda a América Latina, para os descendentes formados em Engenharia, Informática, Arquitetura e Administração de Produção que já tenham trabalhado na área e que tenham até 30 anos de idade.

A empresa em que o bolsista estagiará garantirá a ele o transporte, o aposento, a alimentação, o material para o estágio e uma bolsa-auxílio, que varia de acordo com a empresa.

A seleção para a bolsa é feita através de uma redação em japonês ou em inglês. Depois, os candidatos são submetidos a entrevistas em português.

Para saber mais, o telefone da Latec no Brasil é (11)3208-1755.

Para conhecer pessoas que ganharam Bolsas de Estudo para o Japão, conheça a ASEBEX (Associação Brasileira de Ex-Bolsistas no Japão). Ela organiza inúmeras atividades para que não apenas os descendentes como também os não-descendentes conheçam os diferentes tipos de Bolsas de Estudo no Japão para Brasileiros. Ela participa do processo de seleção e organiza Seminários Preparatórios para futuros bolsistas. E para que haja uma maior comunicação entre os bolsistas, os ex-bolsistas e futuros bolsistas, a ASEBEX realiza vários eventos culturais, sociais, esportivos e comunitários durante todo o ano.

O endereço eletrônico da ASEBEX é www.asebex.org.br.


Top