Boates fechadas pela fiscalização

Desde o dia 26 de janeiro, o Brasil parou para acompanhar a tragédia que aconteceu em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Uma…

Desde o dia 26 de janeiro, o Brasil parou para acompanhar a tragédia que aconteceu em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Uma boate da cidade foi tomada por um incêndio e causou a morte de 237 pessoas, a maioria era formada por jovens com idade entre 18 e 25 anos.

A fiscalização se tornou mais intensa após a tragédia que aconteceu na boate Kiss. (Foto:Divulgação)

Saiba mais: Saiba como verificar se uma boate é segura

O caso da boate Kiss

O fogo na boate Kiss iniciou durante a apresentação da banda Gurizada Fandegueira. O vocalista usou um artefato pirotécnico no palco, que entrou em contato com a espuma do isolamento acústico, altamente tóxica. De acordo com o legista que examinou as vítimas fatais, 90% dos tiveram asfixia mecânica como causa da morte, pois inalaram um gás tóxico que substituiu o oxigênio no sangue.

Diversos fatores contribuíram com o incêndio na boate Kiss, como o uso de artefato pirotécnico em ambiente inapropriado, falta de saídas de emergência, ausência de dispositivos de segurança e público numeroso, além da capacidade do local. A casa noturna também estava com o seu alvará vencido, ou seja, não deveria estar funcionando.

Fiscalização mais acirrada

Para evitar outra tragédia como a de Santa Maria, os governos estaduais e municipais resolveram intensificar a fiscalização nas boates brasileiras. Os bombeiros estão fazendo um intenso trabalho para vistoriar as casas noturnas.

As casas noturnas sem segurança estão sendo interditadas. (Foto:Divulgação)

Durante a vistoria, algumas práticas são essenciais, como o teste do alarme de incêndio e hidrante, a verificação da validade dos extintores de incêndio e a funcionalidade das saídas de emergência.

As boates que não foram aprovadas na fiscalização permanecerão com as portas fechadas até que as falhas sejam corrigidas. No entanto, os proprietários questionaram a demora da prefeitura para entregar os documentos que estão faltando.

Leia Também:  91 mil mulheres foram assassinadas no Brasil nos últimos 30 anos

Além de boates, outros estabelecimentos foram fechados após a fiscalização dos bombeiros, incluindo bares, restaurantes e até mesmo casas de festas infantis.

Boates interditadas

Boates permanecerão fechadas até que as falhas sejam corrigidas. (Foto:Divulgação)

Várias boates e danceterias brasileiras foram interditadas por causa da falta de segurança. Veja a seguir os nomes de algumas:

Pride Clube
Rua Francisco Teodoro, 374, Vila Industrial – Campinas, SP.

Rancho 2000
Av. Andrade Neves, 1.565, Centro – Campinas, SP.

Espaço Mog
Rua Osvaldo Oscar Barthelson, 889, Jardim Paulicéia– Campinas, SP.

Gaitaço Sertanejo
Av. Manoel Ribas, 8172 – Butiatuvinha – Curitiba – PR.

Clube Dançante Hermann
Av Vereador Toaldo Túlio 4450 – São Braz– Curitiba – PR.

Blanc Club
Av. Pref. Faria Lima, 760 – Londrina – PR.

Inferno Club
R. Augusta, 501 – Consolação – São Paulo.

Carioca Club
Rua Cardeal Arcoverde, 2.899, Pinheiros – São Paulo.

Villa Sertaneja
Avenida Oliveira Freire, 238, Parque Paulistano – São Paulo.

Boate Duck
R. Pernambuco, 1316 – Savassi – Belo Horizonte – MG

Boate 00
Av. Padre Leonel França, 240 – Gávea  –  Rio de Janeiro.

Veja também: Alvará de funcionamento: passo a passo para tirar

Top