domingo, 14 de agosto de 2022 - 14/08/2022 22:35:48
MundodasTribos

Se atualmente o axé, o samba e outros ritmos como o sertanejo universitário, o funk e o pagode são os mais tocados nos carnavais pelo Brasil afora, nos primeiros anos do século passado os foliões se divertiam ao som das clássicas marchinhas de carnaval.

Desde o início do século XX, as marchinhas agitam o carnaval por todo o Brasil (Foto: Divulgação)

Criadas por grandes compositores, como Chiquinha Gonzaga, Lamartine Babo e Zé Keti, entre outros, as marchinhas mais antigas ainda fazem um grande sucesso, principalmente nas festas de carnaval mais populares, agradando às pessoas de diferentes faixas etárias.

A seguir, vamos relembrar algumas das marchinhas de carnaval que marcaram época.

O que este artigo aborda:

Ó Abre Alas

Considerada a primeira marcha carnavalesca da história, a composição foi escrita por Chiquinha Gonzaga, em 1899, para homenagear o Cordão Rosa de Ouro, tornando-se um dos símbolos do carnaval carioca.

Touradas em Madri

De autoria de Alberto Ribeiro e Braguinha, a marchinha surgiu no carnaval de 1938, mas se popularizou mesmo na Copa de 1950, sendo cantada em uníssono pelo público presente ao Maracanã, na goleada de 6 a 1 do Brasil contra a Espanha.

Máscara Negra

Escrita por Zé Keti em 1967, em meio à grande popularidade de ritmos como os sambas-enredos, a bossa nova e o movimento tropicalista, a canção ajudou a recuperar o prestígio das marchinhas.

A Jardineira

Segundo historiadores, essa marcha-rancho teria surgido no final do século XIX, tendo sido escrita pelo carnavalesco Candinho das Laranjeiras. Mas a fama veio a partir de 1939, na letra criada (ou adaptada) por Benedito Lacerda e Humberto Porto.

Allah-lá-ó

Criada em 1940, por Haroldo Lobo-Nássara, a canção faz sucesso até os dias atuais, sendo lembrada principalmente quando está muito quente (“mas que calor, ô, ô, ô, ô, ô, ô…”).

Aurora

Também de 1940, a marchinha escrita por Mário Lago e Roberto Roberti foi criada em uma quarta-feira de cinzas e já estava na boca do povo no dia seguinte.

Mamãe Eu Quero

Apesar do sucesso ter surgido na voz de Carmem Miranda, em 1941, a canção original é de 1937 e foi escrita por Jararaca e Vicente Paiva.

O Teu Cabelo Não Nega

Originalmente, a canção era um frevo, escrito pelos pernambucanos Raul Valença e João Valença. Mas ela foi dada a Lamartine Babo, para ganhar um “jeito mais carioca”.

Turma do Funil

Composta em 1956 por Mirabeau, Milton de Oliveira e Urgel de Castro, a marcha tornou-se uma espécie de “hino à boemia”. Foi regravada por Tom Jobim, Miúcha e Chico Buarque, em 1980.

Me dá um dinheiro aí

Ivan, Homero e Glauco Ferreira são os autores da canção, escrita em 1959 e que se popularizou na voz de Moacir Franco.

O conteúdo "As marchinhas de carnaval que marcaram época" foi feito por Andre e distribuído por MundodasTribos na categoria Carnaval em . Conteúdo atualizado em .

1

Pode ser do seu interesse

Hotéis e Pousadas Carnaval Salvador 2011 Bahia

Hotéis e Pousadas Carnaval Salvador 2011 Bahia

Pacotes Porto Seguro Carnaval 2016

Pacotes Porto Seguro Carnaval 2016

Carnaval em Lençóis BA 2016

Carnaval em Lençóis BA 2016

Viagens Baratas Porto Seguro Carnaval 2016

Viagens Baratas Porto Seguro Carnaval 2016

Fantasias de carnaval para casal – Preços, onde comprar

Fantasias de carnaval para casal – Preços, onde comprar

Ingressos carnaval de São Paulo 2014: preços, onde comprar

Ingressos carnaval de São Paulo 2014: preços, onde comprar