Aparecida será a primeira cidade brasileira com energia “inteligente”

A cidade de Aparecida, no Vale do Paraíba, localizada a 168 quilômetros de São Paulo, será o primeiro município brasileiro a adotar uma energia…

Por Redacao em 21/10/2011

A cidade de Aparecida, no Vale do Paraíba, localizada a 168 quilômetros de São Paulo, será o primeiro município brasileiro a adotar uma energia “inteligente”, utilizando em toda sua extensão medidores eletrônicos (smart grid).

O projeto, nomeado de InovCity, é responsável pelo grupo português EDP e inclui instalação de painéis solares nas casas e lâmpadas LED nas vias, entre outras medidas. Além disso, 15,3 mil medidores eletrônicos deverão transmitir em tempo real as informações de consumo de cada consumidor e melhorar a qualidade da energia entregue.

Com a ação, não será mais necessário efetuar o serviço de leitura manual, de unidade em unidade, evitando erros de medição. O monitoramento online também possibilitará que a equipe verifique os locais onde, acidentalmente, houve uma interrupção da energia e resolver o problema, excluindo a necessidade de enviar alguém até o local para restabelecer o fornecimento.

Segundo o vice-presidente da EDP, Miguel Setas, o número de fraudes e roubos de energias cometidos por muitas empresas será dificultado, diminuindo a incidência desses casos. Ele afirmou ainda que o projeto estará completo e finalizado até julho do ano que vem. O InovCity foi testado em uma experiência na cidade portuguesa de Évora e obteve bons resultados, de acordo com informações do executivo.

As lâmpadas LED devem diminuir o consumo de energia e durar mais tempo. Além das vias públicas, algumas lâmpadas serão doadas para consumidores residenciais. Comunidades carentes receberão geladeiras e chuveiros novos que gastam menos energia.

Há também, segundo Setas, a hipótese de Aparecida criar parcerias com cidades vizinhas para a instalação de pontos de recarga para veículos elétricos. A primeira iniciativa deve ser uma doação de motocicletas e bicicletas elétricas ao município, primeiramente aos funcionários públicos. Todo projeto deve custar 10 milhões de reais, sendo 80% destinado para a compra dos smart grids, que serão produzidos pela empresa Ecil.

Setas ainda destaca que estes são apenas o início dos benefícios futuros que poderão ser conquistados. Segundo ele, com o monitoramento online poderá ser possível criar tarifas diferenciadas para os clientes de acordo com os horários de consumo. Agora além do grande simbolismo religioso, Aparecida ganha outro grande destaque.

Top