Antidepressivo durante a gravidez afeta o bebê

A gestação é uma fase que necessita de muitos cuidados especiais. Assim, é imprescindível que a gestante siga as orientações do especialista, de modo…

Por Editorial MDT em 19/03/2013

A gestação é uma fase que necessita de muitos cuidados especiais. Assim, é imprescindível que a gestante siga as orientações do especialista, de modo a evitar qualquer consequência futura. Além disso, é muito importante que a grávida, antes de fazer uso de qualquer tipo de medicamento, solicite a avaliação do médico. No entanto, em alguns casos, a gestante deve fazer uso de remédios, devido a algumas comorbidades, mesmo sabendo que eles podem afetar a formação do bebê que está sendo gerado. Saiba como o antidepressivo durante a gravidez pode afetar o bebê.

Saiba quais os cuidados que devem existir com o paracetamol na gravidez. 

A realização do pré-natal é imprescindível para uma gestação sadia. (Foto: divulgação)

 

Antidepressivo X desenvolvimento fetal

Pesquisadores da University British Columbia, no Canadá, realizaram uma análise através de 23 estudos, na qual descobriram que mulheres grávidas que fazem uso de antidepressivos, apresentam um risco maior de ter um parto prematuro. Ou seja, o bebê tem maior chance de nascer antes do tempo ideal para seu nascimento. Além disso, através desses estudos, foi comprovado que esses medicamentos podem acarretar diversos problemas no bebê gerado, inclusive de formação.

O risco de malformações está relacionado tanto a antidepressivos modernos, quanto antigos

O estudo canadense avaliou o risco de malformações dos bebês, entre as gestantes que fazem uso de antidepressivos modernos, assim como os mais antigos. Independente da classe e do tipo de antidepressivo, os estudos mostraram que a exposição ao medicamento pode colaborar com:

  • Parto prematuro;
  • Menor tempo de gestação (idade gestacional);
  • Menor pontuação do Apgar (avaliação para verificar a saúde do bebê, logo após o nascimento);
  • Menor peso do bebê;
  • Malformações.

Vale ressaltar que todas essas alterações forem comparadas a um grupo de bebês recém-nascidos que não foram expostos ao medicamento.

O uso de antidepressivos na gravidez, pode afetar a formação do bebê. (Foto: divulgação)

Mesmo diante dos riscos ao bebê, a gestante não deve suspender o uso dos antidepressivos

Segundo especialistas, as gestantes que apresentem histórico de depressão não devem parar de tomar a medicação, de maneira súbita. Esse fato pode trazer alguns riscos tanto à vida das grávidas, quanto ao bebê gerado. Assim, é essencial que a gestante realize um acompanhamento psiquiátricodesde o pré-natal, de forma a descobrir qual o melhor tratamento para ser realizado durante a gestação.

A gestação é uma fase que necessita de cuidados. (Foto: divulgação)

A gestação é uma fase de mudanças e que necessita de cuidados especiais. Dessa forma, o acompanhamento médico é imprescindível para que a mulher tenha uma gravidez tranquila e livre de problemas. Além disso, a mulher deve ficar atenta às mudanças que possam acontecer e sempre que possível, solicitar orientações ao especialista, inclusive, em relação ao uso de medicamentos na gravidez para o controle de comorbidades.

Saiba mais sobre os remédios para depressão.

Top